Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Família, arte e direção

Odontólogo Rildo Lasmar fala à Zelo sobre hobbies, paixões e de que forma concilia a rotina de trabalho com a vida em família
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Fora do consultório, além da direção, Rildo Lasmar tem grande apreço por fazer adaptações mecânicas em seu Porsche (Foto: André Cywinski)

Lucas de Godoi

O tom de voz gentil de Rildo Lasmar contrasta com uma de suas várias paixões: a velocidade. Entusiasta do motociclismo, colecionador de obras de arte e consumidor fiel da alemã Porsche, o odontólogo reúne um misto de bom gosto e simplicidade. É frequentador assíduo da agenda social da Capital, mas não abre mão dos encontros intimistas com amigos. Na hora de apontar o roteiro de um dia perfeito, é preciso: exercer a profissão ao lado da família.

A presença dos filhos e da esposa é a bússola que guia a vida do mineiro radicado em Goiânia há mais de 20 anos. Acostumado a ter ao lado a companheira dos últimos 32 anos, a fisioterapeuta Bel Lasmar, que dirige no mesmo prédio a franquia Pink Lash e seu espaço de estética, Rildo também faz questão de dividir o consultório com os filhos. O primogênito, João, 19, trilha os passos do pai na Faculdade de Odontologia. Matriculado no quinto período, tem acompanhado o trabalho do odontólogo com o olhar de quem não esconde sua principal fonte de inspiração. A caçula, Beatriz, 13, também tem lugar cativo no espaço e é sócia de Bel na famosa franquia de cílios.

Também pudera: Rildo é referência no que faz à frente do instituto que leva o seu nome. São 23 anos dedicados a moldar sorrisos, sempre com técnica apurada, tecnologia de ponta e uma dedicação manual que se aproxima de uma das artes que mais gosta de contemplar: as pinturas. Na recepção do consultório, uma tela de Antônio Poteiro recebe pacientes com elegância e os traços que o artista refinou na capital goiana, cidade que o português escolheu viver até a sua morte, em 2010.

No acervo que Rildo constrói há ainda esculturas e pinturas de outros artistas locais, como Siron Franco e Pitágoras Lopes, além de outras telas que percorrem caminhos distintos até integrar a coleção. “Há muitos anos que venho adquirindo obras e formando o nosso acervo. Gosto de valorizar os artistas regionais. Acho que, por ser uma confecção manual, identifica com o trabalho que nós fazemos aqui. Sempre dou um toque pessoal ao tratamento, nas formas dos dentes, é um trabalho minucioso, criterioso e, claro, artístico”, conta.

Fora do consultório, as mãos do odontólogo encontram outra distração: faz adaptações mecânicas no Porsche que gosta de dirigir pela cidade aos fins de semana. Corriqueiramente, pai e filho escolhem o Autódromo de Goiânia para acelerar um dos carros mais seguros do mundo e ao qual Rildo nutre uma paixão.

A fidelidade do odontólogo pela marca foi reconhecida pela montadora alemã, que, recentemente, enviou a Rildo convite para o lançamento do novo modelo, o potente Taycan Turbo S, que chega aos 100 km/h em 2,8 segundos e até 200 km/h em 9,8 segundos. A seleta festa de que Rildo participou foi montada no Autódromo de São Paulo, em viagem oferecida cordialmente pela Porsche.

Enquanto aguarda a produção da unidade que adquiriu, com entrega prevista para fevereiro de 2021, Rildo acelera uma motocicleta potente nas imediações da Capital. “A moto é só aqui por perto”, avisa. “Gosto de pilotar dentro da cidade, de encontrar os colegas, mas viajar só em pequenas distâncias. Não gosto de ficar longe da família, gosto de ficar por perto para participar mais com eles”, divide.

Viajar mesmo, só em família, como as férias agendadas no réveillon em Punta Cana, na República Dominicana. O destino escolhido tem tudo que Rildo se interessa: a presença da família, novos cheiros e sabores e uma paisagem tão bela quanto os desenhos feitos ao ar livre pelo pintor francês Claude Monet.

“Gostamos de conhecer novas culturas, novos sabores, novas tendências. As viagens são sempre ricas porque acabamos encontrando coisas positivas para trazer, inclusive, para o consultório. É o nosso jeito de contemplar o que há de mais belo da vida”, conclui Rildo cheio de razão. Afinal, com a devida licença para o uso da metáfora, a vida passa tão rápido quanto um esportivo em fuga.

Ao ser questionado sobre percorrer longas distâncias em uma motocicleta, o odontólogo é claro: só gosta de pilotar o veículo dentro da cidade, e viajar é mais interessante quando envolve toda a família (Foto: André Cywinski)

Matéria publicada na 45ª edição da Revista Zelo