Governo de Goiás participa do Fórum dos 15 Estados Brasileiros que não sediarão jogos da Copa do Mundo 2014

Representantes de 15 estados brasileiros que não sediarão jogos da Copa do Mundo de 2014 reuniram-se, na manhã de hoje, no auditório Mauro Borges, do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, para discutir estratégias que os capacitem a receber as 32 seleções, que disputarão os jogos, para treinamento e hospedagem. Recebido pelo governador Marconi Perillo, o ex-jogador Ronaldo Nazário compareceu ao evento na condição de representante administrativo do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014. O fórum dos representantes dos 15 estados brasileiros que não sediarão jogos da Copa é organizado pela Goiás Turismo, Agência Goiana de Esporte e Lazer (Agel), e Federação Goiana de Futebol.
Os estados que não sediaram jogos são: Goiás, Rondônia, Acre, Amapá, Roraima, Pará, Tocantins, Maranhão, Piauí, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina. Os representantes assinaram hoje uma carta aberta à CBF demonstrando as condições de oferecer serviços às seleções e a forma como têm se preparado para isso. De acordo com o governador Marconi Perillo, R$ 100 milhões do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) serão disponibilizados para hoteleiros, centros olímpicos, e para quaisquer pessoas que se enquadrem no FCO e se interessem em investir na melhoria da infraestrutura de algum negócio visando a Copa do Mundo.
“Esses recursos nós já temos, mas se nós precisarmos de mais, vamos buscar. O que precisarmos para qualificar turismo, restaurantes e hotéis, vamos conseguir recursos para recebermos clubes e seleções”, disse, em discurso. A Goiás Turismo e a Agel prepararam um vídeo mostrando as condições dos estádios goianos e das cidades turísticas.
O governador disse que a comissão organizadora em Goiás já está pronta. Ela será presidida pelo vice-governador José Eliton, o secretário de Indústria e Comércio, Alexandre Baldy e o presidente da Agel José Roberto de Athayde. “Vamos fazer interlocução direta com a CBF, com o Comitê Organizador, com o Ronaldo. Definirmos os parâmetros do que queremos fazer, elegermos as prioridades e também enxergarmos os gargalos que temos e, a partir de então, partirmos de forma a buscar um lugar de destaque na Copa do Mundo de 2014”, afirmou.
Ao saudar Ronaldo, Marconi lembrou um pouco da trajetória do ex-jogador e disse que, em conversa ontem, mostrou a ele as potencialidades de Goiás. “Por onde passar, o Ronaldo será sempre uma grande festa, porque ninguém vai se esquecer das alegrias que você já trouxe a todos nós brasileiros. As três vezes em que foi eleito o melhor jogador do mundo trouxe muita alegria para todos nós. Além do talento, é um jogador ético. Tive oportunidade de conversar ontem com o Ronaldo e com os representantes da CBF, da Comissão de Turismo, do Comitê Organizador. Falamos muito das potencialidades de Goiás, do que o governo pode fazer efetivamente para atrair uma parcela importante da Copa do Mundo. Nós queremos colaborar. É claro que Goiás vai ser muito beneficiado com isso, mas nós queremos, em primeiro lugar, colaborar”, declarou.
Marconi disse ainda que o trabalho é também para que até 2014 todas as rodovias e aeroportos goianos estejam em boas condições. “Procuraremos nos adequar para que Goiás esteja à altura de merecer a atenção da FIFA, da CBF e de todos que são responsáveis por esta grande organização”, sintetizou.
Ronaldo esclareceu que todas as vezes em que participou de Copa do Mundo, a seleção brasileira não utilizava somente os serviços das cidades sedes. “Sempre buscava uma cidade mais tranquila, uma cidade que tinha potencial para receber o período de treinamento, que é o período mais importante para a seleção que vai disputar a Copa do Mundo. Portanto, esse fórum é para mostrar a importância de todas as cidades durante a Copa do Mundo. A Copa do Mundo não é só para as cidades sedes, mas para todos os brasileiros. A Copa do Mundo deve ter a participação de todos”, disse, sob aplausos dos presentes.
Ele reconheceu o esforço e o preparo das cidades goianas para receber as seleções. “Goiânia e todo o estado de Goiás está se preparando muito bem, e é fortíssima candidata para receber uma grande seleção. As seleções querem entretenimento, tranquilidade para seus atletas e toda infraestrutura. Portanto, todas as cidades não sedes precisam estar preparadas para receber a Copa. Serão 32 seleções, então há espaço para muitas cidades. É o momento que temos para mostrar nossa cultura e nosso preparo”, explicou. Weber Magalhães, vice-presidente da CBF no Centro-Oeste, reforçou o discurso de Ronaldo: “A Copa do Mundo no Brasil não se resume às 12 sedes. É a Copa do Brasil, de todas as cidades brasileiras. Goiás tem condição de grandes eventos e já mostrou isso, até porque a última vez que a seleção esteve aqui foi modelo FIFA”, disse.
A Copa do Mundo de 2014 acontece entre os dias 12 de junho e 13 de julho. Esta será sua 20ª edição e a quinta vez que é sediada na América do Sul.
Goiânia, 20 de março de 2012.

Deixe um comentário


Confira também