Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Governador reúne equipe e pede contenção de despesas e moderação de gastos

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Na primeira reunião coletiva deste ano do secretariado, a quarta realizada desde que tomou posse, em 1º de janeiro do ano passado, o governador Marconi Perillo cobrou contenção de despesas e moderação nos gastos. Para isso, anunciou corte linear de 10% do orçamento do Estado.
Demonstrando otimismo em relação à retomada da capacidade de investimento do Estado, o governador assinalou na reunião que o governo “não pode perder o bonde da história”. Segundo ele, o cenário que se vislumbra para este ano é o de aprofundamento da crise europeia, com repercussão em todo o mundo. Por isso, entende Marconi, o governo estadual deve estar atento ao cenário mundial.
Para este ano, previu, terá continuidade o programa de recuperação da malha rodoviária estadual, executado pela Agetop, além de assinaturas de convênios para construção de pelo menos mais 30 novas rodovias no Estado, com recursos do BNDES, no valor total de R$ 1,5 bilhão.
Uma das justificativas para o rigor fiscal, apontadas pelo governador na fala aos secretários, é que no cenário financeiro deste ano não estão previstas receitas extras, como as que ocorreram em 2011, a exemplo da negociação dos royalties dos recursos hídricos (R$ 148 milhões), a venda da folha de pagamento do Estado (R$ 470 milhões) e refis tributários (R$ 250 milhões), entre outras, que reforçaram o caixa do Tesouro Estadual num aporte extra de R$ 1 bilhão.
O governo manterá o cronograma dos concursos públicos, mas só abrirá novos certames em áreas absolutamente imprescindíveis. “Devemos cumprir um ajuste fiscal rigoroso”, sublinhou o governador, ao enfatizar que a economia com o corte geral de 10% do orçamento será transformada em investimentos.
Além do plano de recuperação da malha viária goiana, estão asseguradas obras de saneamento básico pela Saneago e de recuperação das escolas estaduais, por meio de convênio entre a Secretaria da Educação e a Agetop. O governador se comprometeu em cumprir fielmente os repasses constitucionais para a Educação e a Saúde. Também, desenvolver grandes projetos de infraestrutura urbana, como o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em parceria com a iniciativa privada. Nos planos para 2012, segundo Marconi, estão ainda o ajuste fiscal e o incremento da receita.
Na fala aos secretários, o governador demonstrou desenvoltura com os números, citando demandas de cada uma das pastas e a visão global que ele tem das ações de governo. Na segunda parte da reunião, cada um dos auxiliares teve a oportunidade de relatar as demandas de suas pastas, os projetos em curso e as perspectivas para 2012.
Também discursaram os secretários Giuseppe Vecci, (Gestão e Planejamento), Vilmar Rocha (Casa Civil), Antônio Faleiros (Saúde), Igor Montenegro (Cidades), Nasr Chaul (CCON), Gilvane Felipe (Cultura) e o vice-governador José Eliton de Figuerêdo Jr. Faleiros prometeu um 2012 com muitas notícias positivas na pasta, dentro de uma visão administrativa de que “saúde pública não se faz em hospital”.