Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Governador inaugura Disque Denúncia

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

  • Governador cumprimenta atendentes do Disque Denúncia (Foto: Wesley Costa)

O governador Marconi Perillo inaugurou hoje o Disque Denúncia da Polícia Civil, no auditório da Secretaria de Segurança Pública e Justiça, no Setor Aeroviário. O número para denúncias é o 197 e vai funcionar 24 horas. O secretário de Segurança Pública João Furtado Neto disse que o 197 é uma reestruturação do antigo Disque Denúncia, criado em 2000, já que o intuito agora é também o de atender famílias de dependentes químicos que, ao entrarem em contato com a polícia, passarão por uma triagem, onde receberão indicações de tratamento e internações para seus familiares. O Disque Denúncia recebia, por ano, seis mil ligações. A estimativa é que este índice chegue a 100 mil.

Durante a solenidade, o governador recebeu também a Comenda do Conselho Nacional de Chefes da Polícia Civil. O delegado geral da Polícia Civil, Edmundo Dias, fez um balanço das ações da polícia nos primeiros seis meses de governo. Ele agradeceu o governador por ter reconhecido os delegados em carreira jurídica e lembrou que o Estado não tem mais sofrido com sequestros. João Furtado disse que em breve o governo anunciará liberação de R$ 1 milhão para criação do 5°DP, que será padrão para as delegacias do Estado..

Marconi ressaltou o bom trabalho realizado pelos policiais e enalteceu o desempenho do secretário João Furtado. “Temos a sensação de que não só estamos enfrentando corajosamente os problemas com altivez, como também estamos alcançando bons resultados. Em um curto espaço, as polícias tiveram conquistas extraordinárias. Registramos avanços institucionais muito significativos. Se aumentaram os indicadores de criminalidade, o trabalho também aumentou. Esse aumento só pode ser verificado porque o trabalho se multiplicou”, disse.

Em seguida, traçou os próximos passos: “Precisamos inaugurar um comando de fronteira. Nós só vamos segurar a droga, a marginalidade lá fora, se realmente efetivarmos a polícia de fronteira. Vamos providenciar também o serviço de monitoramento eletrônico, as câmeras nas avenidas mais movimentadas dos comércios da cidade”, afirmou.