Dilma e Marconi vistoriam obras da Ferrovia Norte-Sul

  • (Foto: Rodrigo Cabral )
Na primeira visita a Goiás desde que foi eleita, em 2010, a presidente Dilma Rousseff vistoriou obras da Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis e Goianira. Dilma chegou a Anápolis por volta de 10 horas, e seguiu direto para o Túnel 1 do Ramal de Anápolis. De lá, percorreu, em um Auto de Linha, veículo ferroviário de pequeno porte, cinco quilômetros até o Túnel 2, onde desceu para tomar conhecimento do estágio da obra. A presidente chegou ao Túnel 2 acompanhada pelo governador Marconi Perillo, o prefeito de Anápolis, Antônio Gomide, o governador do Tocantins, Siqueira Campos, e os ministros do Planejamento, Miriam Belchior, e dos Transportes, Paulo Sérgio Passos.
Logo que desceu do Auto de Linha, Dilma foi recebida pela diretora de engenharia da Valec, Célia Rodrigues, e seguiu para o túnel, onde se encontrou com engenheiros e técnicos para receber informações sobre a obra. A Valec, empresa vinculada ao Ministério dos Transportes, é a responsável pela construção e operação da ferrovia, por meio de concessão. A visita ao Túnel 2 durou aproximadamente 20 minutos. O presidente da Agetop, Jayme Rincón, e os secretários de Infraestrutura, Wilder Morais, e Indústria e Comércio, Alexandre Baldy, também acompanharam a presidente e o governador na vistoria das obras. Depois, Dilma seguiu, acompanhada por Marconi e o restante da comitiva, rumo a Goianira, para uma reunião de trabalho com os responsáveis pela obra, em um canteiro do trecho que liga Ouro Verde (GO) a Estrela D’Oeste (SP).
O trecho da divisa do Estado do Tocantins a Ouro Verde, incluindo o Ramal de Anápolis, de 855 quilômetros, deve ficar pronto até julho deste ano. Os investimentos são de R$ 2,92 bilhões. Já o de 680 quilômetros, que liga Ouro Verde à divisa do Estado de Minas Gerais, denominado Ramal 2 da Norte-Sul, deve ser concluído em 2014, com investimentos de R$ 2,7 bilhões. O Ramal 2 da Ferrovia Norte-Sul faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2), e, quando for concluída, toda a Norte-Sul terá 3.100 quilômetros de extensão. A Norte-Sul foi implantada no intuito de promover a integração nacional, diminuindo custos de transportes a longa distância, melhorando o escoamento da produção agropecuária e agroindustrial do País, interligando as regiões Norte, Nordeste ao Centro-Sul do País.
Segundo Jayme Rincón, que acompanhou a presidente durante a visita ao Túnel 2, Dilma foi sucinta ao avaliar a obra e pedir que a conclusão não ultrapasse o prazo estimado do mês de julho. “Dilma foi muito detalhista nas perguntas que fez aos engenheiros. Ela elogiou a qualidade da obra, mas se mostrou preocupada com relação ao prazo de conclusão. Os técnicos afirmaram que a obra será concluída em julho e Dilma foi incisiva em relação à manutenção desse prazo”, disse.
De Anápolis, Dilma e Marconi seguiram em helicóptero até Goianira, realizando uma inspeção aérea da obra no trecho do Ramal 2, que já está praticamente pronto, a partir da cidade de Ouro Verde.
Gabinete de Imprensa do Governador

Deixe um comentário


Confira também