Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Abertura de novos negócios de fabricação de chocolates cresce 57% entre 2019 e 2021

Mercado de chocolate ignora crise e segue em alta atraindo novos empreendedores
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Tetiana Bykovets/Unsplash)

Na contramão da crise, o número de pequenos negócios que atuam no setor de fabricação de produtos derivados do cacau e chocolates cresceu durante a pandemia da Covid-19.  De acordo com levantamento feito pelo Sebrae a partir de dados do CNAE, registrados pelo Ministério da Economia, houve um incremento de 57% na abertura de novos negócios nesse segmento em 2021 quando comparado ao resultado de 2019. Enquanto no ano anterior à crise foram abertas 1.526 MPE, no ano passado esse número alcançou 2.397 novos pequenos empreendimentos, a maioria deles (2.319) constituída por microempreendedores individuais (MEI).

Os dados obtidos pelo Sebrae mostram que o fechamento de pequenos negócios no mesmo período foi menor em relação ao volume de novas empresas abertas. Enquanto foram criados 1.847 pequenos negócios no setor de fabricação de chocolates em 2020, no mesmo ano foram 567 empresas fechadas. Já em 2021, a diferença foi ainda maior, com 2.397 aberturas contra 883 fechamentos.

A analista de Competitividade do Sebrae, Mayra Viana, avalia que esses números são resultado das características do setor. “Por um lado, temos um contingente de empreendedores que normalmente elaboram produtos (ex. ovos, bombons) a partir da barra de chocolate comprada pronta, em sua própria casa, sem grande necessidade de máquinas e equipamentos. Aqui, estão incluídos também os doceiros ocasionais, que buscam uma renda extra em determinadas épocas do ano, como a Páscoa”, comenta Mayra. “Esses empreendedores não enfrentam grandes barreiras de entrada, o que tem levado a um crescimento muito significativo, principalmente na categoria do microempreendedor individual”, acrescenta a analista. Segundo ela, os empresários que mais se destacam nesse ramo são aqueles com produtos criativos, personalizados, que mantém uma boa comunicação com os clientes e apresentam custo-benefício adequado.

Mayra lembra que existe ainda um outro perfil de empreendedor, que tem buscado implementar processos mais sofisticados, como as empresas que trabalham com chocolates bean-to-bar (que produzem o doce a partir da amêndoa do cacau e buscam um nicho de mercado mais exigente). Esses negócios contam com profissionais altamente qualificados, valorizam a origem da matéria-prima e ofertam chocolates premium.

Páscoa de oportunidades

Com a proximidade do domingo de Páscoa deste ano, marcado para o dia 17 de abril, os donos de pequenos negócios que atuam no setor já estão mobilizados para lançar catálogos especiais, iniciar encomendas e divulgar seus produtos nas redes sociais.

A analista do Sebrae avalia que o mercado está otimista para o aumento das vendas esse ano e atento à oferta de mix de produtos. “Esse é um momento de presentear e reunir com os amigos e familiares. Os empreendedores precisam ficar atentos aos formatos de cestas especiais e kits que sempre agradam e que ganham ainda mais destaque quando trazem novidades e alimentos diferenciados, com combinação de produtos especiais”, recomendou.