Rinomania invade São Paulo

A partir do dia 20, as 60 peças criadas por artistas nacionais serão espalhadas por pontos da cidade. Depois da Cow Parade, que espalhou esculturas estilizadas de vacas por São Paulo, em 2010, a cidade recebe, a partir de hoje, a Rino Mania, uma “invasão” de rinocerantes criados por artistas nacionais. As 60 peças ficam em cartaz até segunda, no Museu Brasileiro da Escultura (MuBE), depois, serão vistas até 20 de outubro em avenidas, estações de metrô e outros endereços de grande circulação da capital.

Paralelamente, uma mostra itinerante leva outras 15 esculturas de rinocerontes a mais 11 cidades brasileiras. Gabriel Gombossy, Alexandra Magrine, Binho Martins, Loro Verz e Luciana Assumpção estão entre os artistas que pintaram os bichos. O projeto é patrocinado pela Duratex, em comemoração aos seus 60 anos. As obras podem ser vistas no site rinomania.com.br. Como na Cow Parade, ao final do período de exposição, em outubro, as esculturas serão leiloadas e a renda revertida a entidades sociais.

Arte acessível

A ideia da Rino Mania é envolver o público, de forma que a arte seja de fácil acesso e visualização, permitindo a interação das obras com o cotidiano das pessoas. O projeto todo é inspirado na Rhino Mania, desenvolvida na cidade de Chester, na Inglaterra, pela Wild in Art, e tem uma proposta educacional. A entidade busca a disseminação da arte, principalmente em ambientes escolares.

No Brasil, também será desenvolvido um projeto com 125 escolas públicas de 11 cidades de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Pernambuco. Crianças de 7 a 10 anos serão colocadas em contato com a educação ambiental e artística.

Esses alunos também vão virar artistas. Caberá a eles decorar 220 esculturas de filhotes de rinocerontes, que serão expostas nestas cidades e depois “adotadas” pelas escolas, onde permanecerão definitivamente.

Deixe um comentário


Confira também