Explora cria instituto de conservação de patrimônio

O CEO do explora, Jesús Parrilla, esteve em São Paulo na semana passada e anunciou ainda para 2011 a criação do Instituto explora, uma instituição sem fins lucrativos que visa a conservação e o desenvolvimento do patrimônio natural e cultural dos lugares onde o grupo conta com operação: San Pedro de Atacama, Patagônia e Ilha de Páscoa. Até o final do ano, segundo ele, serão implementados projetos desta ordem em cada um dos destinos. Atualmente, trabalhos estão em andamento na Reserva Puritama, uma área silvestre protegida e privada, localizada no deserto de Atacama.
“Os trabalhos tiveram início em 2009, quando uma equipe multidisciplinar de cientistas desenvolveu um estudo para identificar, caracterizar e avaliar a vegetação, a flora, a fauna silvestre e os vestígios culturais da propriedade. A partir disto, desenvolvemos um plano de gestão e conservação da reserva, através do qual é possível proteger a biodiversidade e a riqueza arqueológica deste ecossistema”, detalha Parrilla.
Parrilla também destacou a relevância brasileira na tomada de decisões do grupo hoteleiro. Citou como exemplo a reforma da Patagônia. “A sugestão de abertura de uma sala de massagem e de uma adega de vinhos partiu de viajantes do Brasil. Incorporamos os espaços para atender aos ensaios de um público que representa 17% do total de turistas que viajam ao explora.”
Para ele, manter o explora entre os principais destinos de luxo do mundo depende de um fator primordial. “Temos que superar as expectativas de nossos viajantes, afinal, explora é mais que um destino, é um conceito. Trata-se de uma forma particular de viajar, baseada na exploração profunda e essencial do luxo.” A aposta da rede para alcançar a meta é o desenvolvimento de novos programas de viagens, que atendam às necessidades de quem viaja com interesse em áreas como a arqueologia, história, etnocultura e botânica.
Explora
Departamento de vendas no Brasil
(11) 3805-3726 / (11) 9634-8684

Deixe um comentário


Confira também