Conheça Guimarães, cidade portuguesa eleita como destino para 2011 pelo New York Times

Guimarães, no norte de Portugal, é um dos 41 lugares recomendados pelo jornal The New York Times para ser visitado em 2011, segundo listagem publicada no dia 7 de janeiro. O periódico aponta que com metade de seus habitantes com menos de 30 anos, a cidade é uma das mais jovens da Europa e tem se posicionado como um dos principais pontos culturais emergentes da Península Ibérica, em especial por uma série de acontecimentos recentes, como a escolha para Capital Europeia da Cultura de 2012 e a designação pela Unesco do centro histórico como Patrimônio Mundial (2001), distinção merecida para um local pleno de reminiscências históricas que soube preservar o seu patrimônio e espaços públicos para o prazer de quem o visita.

Para os portugueses, Guimarães tem um valor simbólico muito especial. Foi num campo próximo dos muros do seu castelo que D. Afonso Henriques, vencendo as tropas de D. Teresa (sua mãe e filha de Afonso VI de Leão e Castela) na batalha de São Mamede, em 24 de junho de 1128, iniciaria a trajetória que culminaria na construção do reino de Portugal, do qual viria a ser o primeiro rei.

Aproveite a oportunidade e a dica de um dos jornais mais respeitados do mundo e embarque para esta pitoresca cidade, considerada berço de Portugal e que reúne tradição, história e também contemporaneidade.

Comece sua visita pelo local conhecido por Colina Sagrada, onde é possível apreciar o castelo de Guimarães e a pequena igreja românica de São Miguel. De acordo com a tradição, foi neste modesto templo que Afonso Henriques recebeu batismo na pia batismal, que ainda se encontra no interior da igreja. Numa interpretação do escultor Soares dos Reis (1834), uma imponente estátua permite imaginar a figura e as feições do primeiro rei português. Nas imediações destaca-se o Palácio Ducal, hoje um palácio-museu, cuja construção original remonta ao século XV.

Se quiser ter uma magnífica visão da cidade, suba de carro os 7 km necessários para se chegar ao Monte da Penha, um dos mais impressionantes panoramas do norte de Portugal. Esta estrada passa ao lado da Pousada de Santa Marinha da Costa, um antigo convento fundado por D. Mafalda de Sabóia, mulher de D. Afonso Henriques. Encontram-se neste edifício vários estilos e épocas que a hábil intervenção do arquiteto Fernando Távora transformou em pousada. A igreja, reconstruída no século XVIII, o claustro, as celas adaptadas em quartos e a belíssima varanda de São Jerónimo, com vista para o jardim, são alguns dos fortes motivos para que você estenda sua estada por pelo menos uma noite. Poderá também subir no teleférico – uma viagem de poucos minutos que liga o centro da cidade ao santuário de Nossa Senhora da Penha e contemplar uma vista deslumbrante.

No centro histórico visite o impressionante Largo da Oliveira e não deixe de conhecer o Centro Cultural Vila Flor, instalado no Palácio Vila Flor, edifício do século XVIII. Equipado com dois auditórios, quatro salas de reuniões, uma área expositiva de 1000 m2, um restaurante, um café concerto, estacionamento e jardins, o Centro Cultural Vila Flor permitiu reforçar e ampliar o projeto cultural e socioeconômico da cidade de Guimarães e de toda a região, oferecendo condições singulares para a realização de eventos diversos. Em março, o centro vai receber o primeiro Festival Internacional de Dança Contemporânea, trazendo a impressionante seleção de companhias de dança de todo o mundo.

Mais informações em: http://www.visitportugal.com

Deixe um comentário


Confira também