Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Sempre há tempo para Criolo

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Rapper Criolo realizou show do álbum "Ainda Há Tempo", no CCON, em Goiânia (Foto:Divulgação)

Cultura, arte, moda, gastronomia, música e entretenimento invadiram Goiânia durante o Festival O Rolê, no último final de semana. Com a proposta de uma viagem por morros e favelas, ao som de muito hip-hop, reggae-samba, samba-rock, e rap,  o cantor Criolo subiu ao palco montado no Centro Cultural Oscar Niemayer no sábado (13) para apresentar seu novo projeto, o lançamento do disco baseado no álbum “Ainda Há Tempo”, de 2006.

Nessa época, Criolo ainda era Doido, levava o adjetivo como nome artístico das raízes das rinhas de hip hop que organizava em São Paulo. Assim como o nome, “Ainda Há Tempo” retorna às suas raízes musicais. Uma releitura que mostra como seu trabalho amadureceu e reconta seu começo em versão repaginada para os fãs que não o conheciam antes da explosão do álbum “Nó na Orelha”, de 2011.

O rapper do Grajaú explica que, inicialmente,  a versão com nova roupagem não era para ter tomado as proporções que tem ganhado. “ A ideia não era ter um disco nesse momento, começamos pensando em fazer pelo menos uma apresentação, para celebrar os 10 anos desse álbum, que nunca teve um show direito”, revela. A partir daí, vieram pedidos ao redor do Brasil, o que resultou em uma pequena tour.

Sob a direção musical de Daniel Ganjaman, a nova versão de “Ainda Há Tempo”, diferentemente da original, que apresentava 22 faixas, conta com apenas nove, além de “Vasilhame”, música extra, gravada depois de 2006. “Breáco” e “Demorô”, que sempre agitam o público, ganham destaque. Ganjaman também teve a ideia de convidar grandes e jovens nomes de beatmakers, como a pessoal do Tropkillaz e o produtor musical Renan Samam, e ainda a participação do cantor Rael.

O público pode conferir um show bastante específico, sem banda, apenas com DJ e MC. Para aqueles que já haviam visto outras apresentações, deu para perceber realmente de onde Criolo veio, em um disco com composições de até 20 anos atrás, mas ainda muito atuais. “É realmente um show de celebração desse momento que a gente viveu e que foi todo nosso berço musical, a arte que nos acolheu em primeiro lugar, que é o rap, que é maravilhoso na minha vida”, acrescenta o rapper.

Criolo tem público cativo em Goiânia, em 2012 realizou seu primeiro show por aqui, no Centro de Cultura e Eventos do Campus Samambaia da UFG, enquanto ainda não era tão popular. Bateu um dos seus primeiros recordes de público, mais de 5 mil pessoas, o que para ele “marcou muito”. E dessa vez não foi diferente, a galera cantou e acompanhou bastante afinada com todas as composições.  

Para quem ainda não conferiu, a recente versão do disco está disponível gatuitamente para download em criolo.net.