Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Procissão do Fogaréu, na cidade de Goiás, deve atrair 20 mil pessoas

Ponto alto da Semana Santa, celebração tem origem europeia e representa a perseguição de Jesus Cristo pelos soldados romanos
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Procissão do Fogaréu é o ponto alto da Semana Santa em Goiás e atrai milhares de turistas (Foto: Leo Iran)

A Procissão do Fogaréu volta a ser realizada no final da noite desta quarta-feira (13/04) após ser suspensa em 2020 por causa da pandemia de Covid-19. O evento é organizado pela Prefeitura de Goiás em conjunto com a Organização Vilaboense de Artes e Tradições (OVAT) e é o ponto máximo da programação da Semana Santa do município.

Para ajudar na realização das atividades da Semana Santa na antiga capital, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), repassou R$ 260 mil ao município, por meio do Programa Estadual de Incentivo à Cultura – Goyazes.

Representando a perseguição de Jesus Cristo pelos soldados romanos, a encenação é realizada desde 1745 na cidade de Goiás e foi trazida pelo padre espanhol João Perestello de Vasconcelos Spíndola. Em 2018, a festividade foi declarada Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de Goiás e é uma das datas que mais movimenta a antiga Vila Boa.

Em anos anteriores à pandemia, a Procissão do Fogaréu foi responsável por atrair cerca de 50 mil pessoas à cidade. Neste ano, o secretário municipal de Turismo, Rodrigo Santana, espera um público de aproximadamente 20 mil turistas. “Todos os hotéis estão reservados. Além disso, tem um público flutuante muito grande, pois várias cidades e empresas organizam excursões para acompanhar de perto a encenação”, explica.

O apoio do Governo de Goiás foi essencial para retomar a programação da Semana Santa, que é tão importante para a cidade de Goiás. “Nós estamos muito gratos porque o dinheiro já está na conta para que possamos investir na organização das procissões, encenações e todos esses momentos tão esperados pela nossa população e pelos milhares de turistas que devem visitar a cidade”, ressaltou a secretária de Cultura da cidade de Goiás, Raíssa Coutinho.

Procissão do Fogaréu

De origem medieval, a Procissão do Fogaréu remonta a perseguição de Jesus Cristo pelos soldados romanos, representados por 40 farricocos. Na noite de quarta-feira, os farricocos saem descalços pelas ruas da cidade, usando vestes longas de cores vibrantes, chapéus pontudos e segurando tochas.

A caminhada começa na Igreja da Boa Morte, passando pelas ruas e becos da cidade até chegar na Igreja do Rosário, que representa o local da Última Ceia. De lá, personagens e multidão seguem para a Igreja de São Francisco de Paula, que representa o Monte das Oliveiras. De acordo com a Bíblia, após a última ceia, Jesus vai para o local rezar junto com seus discípulos e acaba sendo preso pelos soldados romanos, após ser traído por Judas.

A Procissão do Fogaréu termina após a encenação da prisão de Cristo, quando um farricoco vestido de branco caminha em meio aos outros segurando um estandarte com a imagem de Jesus.