Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Procissão do Fogaréu, em Goiás, é retomada após dois anos suspensa pela pandemia

Tradicional celebração cristã, que ficou suspensa dois anos devido à pandemia de Covid-19, retorna ao calendário cultural com apoio do Governo de Goiás
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
A Procissão do Fogaréu é realizada há 277 anos em Goiás

Vestes coloridas, capuzes pontiagudos e tochas rompendo a escuridão. Os elementos, típicos da Procissão do Fogaréu, tomaram as ruas da cidade de Goiás após hiato de dois anos devido à pandemia de Covid-19. “Estamos muito emocionados, parece que é o primeiro Fogaréu que estamos assistindo!”, disse o governador Ronaldo Caiado durante o evento, na madrugada desta quinta-feira (14/04). Ele ainda anunciou o retorno da realização das Cavalhadas no município.

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), repassou R$ 260 mil para viabilizar o evento, por intermédio do Programa Estadual de Incentivo à Cultura – Goyazes. “Está tudo arrumadinho, não tem nada de improvisação. A verba chegou antecipada e com isso houve condições de fazer tudo em ordem”, frisou Caiado. “Vocês não imaginam a minha alegria em estar aqui hoje, tem um sabor diferente. Estamos voltando a realidade, saindo de um pesadelo com esse momento de confraternização”, completou.

Tradicional festa cristã, percorre ruas da cidade de Goiás com celebração que relembra os últimos dias de vida de Jesus Cristo: milhares de fiéis acompanharam a encenação

O governador chegou, ainda no começo da tarde desta quarta-feira (13/04), à cidade de Goiás. Caminhou pelas ruas da antiga capital do Estado, visitou a Praça do Coreto, dialogou com a comunidade e recepcionou autoridades no Palácio Conde dos Arcos. Ao sair para acompanhar a Procissão do Fogaréu foi aplaudido pelos fiéis e acompanhou junto à população o cortejo.

“A Procissão está abrindo o tempo para que a gente possa abraçar um ao outro e a cidade de Goiás se abre com toda sua beleza e exuberância”, disse o prefeito Aderson Gouvea. Ele conta que o evento foi o primeiro do calendário tradicional do Estado a não ser realizado devido à pandemia de Covid-19 e, agora, é o primeiro a voltar. Reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado, a celebração relembra os últimos dias de vida de Jesus Cristo e contou com a participação de milhares de fiéis.

“Um ponto importante é que a procissão do Fogaréu se torne Patrimônio Imaterial do Brasil”, comentou o governador, acompanhado da primeira-dama Gracinha Caiado. A solicitação foi feita pelo Governo de Goiás ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como conta o chefe do Executivo estadual, com todos os documentos incluídos para que a celebração ganhe esse reconhecimento nacional o mais rápido possível.

A Procissão do Fogaréu é realizada há 277 anos em Goiás e simboliza a busca e prisão de Cristo. Foi introduzida no Estado pelo padre espanhol João Perestello de Vasconcelos Spíndola, inspirado em celebrações que remontam à Idade Média. Os farricocos representam os soldados romanos. Os personagens foram inspirados nos penitentes do século XV, que podiam pagar seus pecados sem precisar revelar sua identidade, por isso os trajes longos e o rosto coberto.

rovernador ronaldo caiado
O governador Ronaldo Caiado participa da Procissão do Fogaréu na cidade de Goiás