Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Orquestra Filarmônica de Goiás retoma apresentações presenciais

Concerto de abertura da temporada 2021 acontece nesta terça-feira (26/10), a partir das 20h, no Palácio da Música do Centro Cultural Oscar Niemeyer
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Foto: Rafaela Pessoa

A Orquestra Filarmônica de Goiás (OFG) retoma as apresentações presenciais nesta terça-feira (26/10), a partir das 20 horas, no Palácio da Música do Centro Cultural Oscar Niemeyer, com entrada franca. A retomada das atividades presenciais, após um ano e sete meses, será marcada pelas obras de Wagner, Enescu, Debussy e Nepomuceno. “Composições que prometem emocionar o público presente”, afirma o maestro Neil Thomson.

Neste período de quase dois anos de pandemia, a Filarmônica precisou de apoio do Governo do Estado para que os músicos continuassem em atividade. Por determinação do governador Ronaldo Caiado, as secretarias de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), Geral da Governadoria (SGG), de Cultura (Secult), Goiás Turismo e a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) realizaram uma força-tarefa para fazer aportes financeiros aos 49 músicos da OFG.

“Esses artistas não tinham apoio nenhum da gestão anterior, que não garantiu a contratação correta deles. Fizemos contratos emergenciais com os músicos até que fosse assinado o convênio coma  Universidade Federal de Goiás. Isso garantiu não só o sustento destes profissionais, mas também a continuidade desse trabalho que nos enche tanto de orgulho”, afirma o governador Ronaldo Caiado.

O secretário-geral de Governo (SGG), Adriano da Rocha Lima, se recorda do empenho da atual gestão para regularizar não só situação dos músicos da orquestra, como também de outras áreas que apresentavam contratos irregulares. “Fomos obrigados, judicialmente, a rescindir o contrato com os músicos, devido a irregularidades herdadas da gestão passada e tivemos que empenhar um grande esforço para resgatar toda a Orquestra. Atualmente, todos os músicos estão contratados novamente e recebendo os salários. Além disso, conseguimos pagar integralmente todos os prêmios e valores que estavam pendentes”, explica Rocha Lima.

Ele ainda menciona que a restruturação da Orquestra permitiu integrá-la à Escola do Futuro de Goiás em Artes Basileu França, e hoje, os experientes músicos estão tendo contato direto com a nova leva de jovens e promissores músicos que compõem a Orquestra Sinfônica Jovem. “Uma troca de experiências riquíssima para esses jovens talentos”, acrescenta o secretário.

A retomada também é marcada por uma nova gestão da Orquestra, que é realizada pela UFG em parceria com o Governo de Goiás, por meio de convênio entre a Secretaria de Desenvolvimento e Inovação e a Fundação de Apoio à Pesquisa (Funape).

“Dentro do Basileu França, a Filarmônica integra um núcleo de difusão da cultura e da música. Esses músicos profissionais também atuam na docência, apoiando os processos de ensino-aprendizagem da escola. Eles ministram aulas especiais para os alunos, que chamamos de master class. Isso gera motivação extra para os jovens, que ganham novas perspectivas de crescimento e evolução na carreira”, explica o titular da Sedi, Marcio Cesar Pereira.

Secretário de Cultura, César Moura lembrou as dificuldades do período da pandemia foi complicado para a classe cultural, mas a Filarmônica passou esse tempo com os pagamentos em dia. “Graças à solução encontrada por determinação do governador Ronaldo Caiado. Em dezembro do ano passado, o governo contratou os 49 músicos após serem dispensados com débitos da gestão anterior na ordem de R$ 2,561 milhões, também quitados pela atual gestão, em fevereiro”, afirma.

Fabrício Amaral, presidente da Goiás Turismo, lembra que a Filarmônica de Goiás é uma das mais prestigiadas do Brasil, pois ela contribui com os cenários cultural e turístico do Estado. “É fundamental seu retorno. É motivo de muita alegria ter ajudado nesta retomada. Ela representa muito bem as cores de Goiás. E vamos contribuir com grandes projetos da Orquestra”, revela.

Programa

O programa do concerto desta terça-feira é variado, trazendo temas como alegria e celebração. O início será uma explosão de alto esplendor romântico com a abertura de Wagner ‘Die Meistersinger von Nürnberg’ e, em seguida, um contraste completo com ‘Prélude à l’unisson; do grande compositor romeno George Enescu;  um trabalho maravilhosamente calmo e meditativo.

“Encerramos a primeira parte com a deliciosa Petite Suite de Debussy. A obra principal do concerto é a magnífica sinfonia em sol menor de Nepomuceno. A OFG sempre teve um forte compromisso com a música brasileira e esta é realmente a grande Sinfonia Romântica Brasileira”, afirma o maestro Neil Thomson.

Segundo Neil Thomson, o período da pandemia serviu também para refletir sobre questões como que lugar uma orquestra ocupa na sociedade no mundo pós-covid? “Nos últimos 18 meses, vimos como as pessoas se voltaram para a música e as artes em busca de conforto espiritual. E isso nos mostrou que a cultura é realmente uma necessidade, e não um luxo” complementa.

Escola do Futuro em Artes Basileu França

A OFG passa a ter parceria com a Escola do Futuro de Goiás em Artes Basileu França. Os músicos vão trabalhar lado a lado com os alunos da Orquestra Jovem. O objetivo é ajudar a construir uma conexão duradoura entre os dois grupos. “Meu sonho é que, no futuro, a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás (OSJG) seja nossa primeira fonte para recrutar novos músicos”, finaliza o maestro Neil Thomson.

SERVIÇO:

Concerto: Orquestra Filarmônica de Goiás (OFG)

Data: 26/10

Horário: 20 horas

Classificação: livre

Local: Palácio da Música – CCON

Entrada franca!

Secretaria de Cultura (Secult) – Governo de Goiás