Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

O prazer da dieta vegetariana

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Quer mudar sua dieta, mas não sabe como? Convencer-se dos motivos pode ser um ótimo começo: “nós nos tornamos vegetarianas ao longo do tempo, por motivos como saúde e espiritualidade”, explica Camilla Rauch, responsável pelo cardápio do restaurante Garam Massala. Hoje, ela e a mãe, Rosana Piacenco, trabalham para divulgar a dieta sem carne, e apostaram em uma mistura de temperos que faz qualquer um ficar com água na boca.
“O primeiro grande erro de quem pensa em tornar-se vegetariano é achar que a comida sem carne não tem a mesma graça. Aqui, nós acabamos imediatamente com esse mito”, enfatiza Camilla. No Garam Massala, que tem um toque indiano nos pratos e onde os alimentos são servidos em utensílios de inox, assim como é feito na Índia, tudo tem muito sabor. É só constatar nos carros chefe do cardápio: a feijoada vegetariana e o pastel Mexicano, servido às sextas e que arrebata muitos fãs ao restaurante, para provar a mistura de carne de soja moída, azeitonas, tomate, alface, guacamole, chedar, tutu de feijão, mussarela ralada e cebola grelhada no barbecue.
Camila e Rosana apontam algumas razões, fora as delícias do Garam Massala, para apostar na alimentação sem carne:
1. É mais saudável. Todas as carnes, mesmo as mais magras, têm gordura. Fora isso, sabe-se que são usados muitos aditivos químicos para evitar doenças nos próprios animais e também para acelerar crescimento e engorda. “A indústria da carne é cara e nada saudável”, aponta Camilla.
2. Se o mundo não produzisse tanta carne, poderia produzir infinitamente mais grãos. No espaço ocupado por fazendas de gado de corte, poderiam ser produzidos milhares de toneladas de grãos.
3. Muito espaço é desmatado para dar lugar a fazendas de gado. Ou seja, a alimentação carnívora também é, em grande parte, responsável pelo desaparecimento de florestas ao redor do mundo.
“Poderíamos ficar aqui enumerando razões, porque realmente acreditamos que o futuro é da alimentação vegetariana”, explica Rosana, que ainda completa: “mas sabemos que a realidade está mudando, cada vez de maneira mais acelerada”. Ela lembra que, quando abriram o restaurante, há 10 anos, ser vegetariano era estar restrito a alguns grupos de pessoas: “hoje, temos fila de espera, muitas vezes, para experimentar nossos pratos, que provam que a alimentação sem carne pode ser incrivelmente saborosa”, confirma.