Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Museu Frei Confaloni recebe exposição coletiva em celebração ao centenário da Semana de Arte Moderna

 “100 Anos Depois” traz obras inéditas e será aberta nesta quarta-feira (23/03), no museu localizado na Antiga Estação Ferroviária
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Museu Frei Confaloni, na Antiga Estação Ferroviária, sedia a exposição de arte coletiva “100 Anos Depois” (Foto: Secult)

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), abre, nesta quarta-feira (23/03), às 19h, no Museu Frei Confaloni, na Antiga Estação Ferroviária, a exposição de arte coletiva “100 Anos Depois”. A mostra reúne obras inéditas de 31 artistas em comemoração ao centenário da Semana de Arte Moderna de 1922. Exposição tem parceria da Associação Goiana de Artes Visuais (Agav). Abertura oficial será para imprensa e convidados.

As obras foram produzidas especialmente para a exposição, uma continuidade à série de eventos comemorativos iniciados ainda no mês de fevereiro. O secretário municipal de Cultura, Zander Fábio, lembra que, na semana comemorativa ao movimento, “realizamos grande evento no Museu de Arte de Goiânia (MAG), com exposição, sarau, palestras e oficinas”.

Conforme explica, diante da repercussão positiva e adesão do público, a ideia é levar “ao Museu Frei Confaloni uma exposição que imprime este grande momento vivenciado no Brasil, a Semana de Arte Moderna, que transformou a Cultura e a História da Arte”, ressalta.

O prefeito Rogério Cruz, por sua vez, diz que o objetivo é “homenagear a significativa contribuição da Semana de Arte Moderna à nossa cultura, memória e história”.

O presidente da Associação Goiana de Artes Visuais (AGAV), Valdir Ferreira, explica que a escolha do museu se deve à figura do próprio Frei Confaloni como marco e precursor do Modernismo em Goiás, ainda na década de 1950. “A Semana de Arte Moderna de 22 chocou grande parte da sociedade da época, implementou novos processos na relação com as artes, com formatação mais brasileira”, avalia.

Ainda de acordo com Valdir, o movimento trouxe a adoção “da informalidade e a liberdade de produção como as novas regras da Arte Moderna, de modo a romper com o formalismo das artes até então vigente. E é isso que estará presente na exposição ‘100 Anos Depois’”.

A exposição fica em cartaz para a população de 24 de março a 13 de abril, sempre de terça-feira a domingo, das 8h às 18h, no Museu Frei Confaloni, na Antiga Estação Ferroviária, polo da Secult na Praça do Trabalhador.

Museu Frei Confaloni

O Museu está localizado no Centro Cultural Estação Cultura, a Antiga Estação Ferroviária, um dos pólos da Secult. Em 2019, o local foi reinaugurado pelo então prefeito Iris Rezende, após grande reforma e restauração. Parte da estrutura antiga foi mantida e, por isso, o edifício é reconhecido pelo Iphan como Patrimônio Histórico Cultural Nacional, e é um dos cartões postais da capital.

Serviço:
Museu Frei Confaloni sedia exposição de arte coletiva “100 Anos Depois”, em comemoração ao centenário da Semana de Arte Moderna de 1922
Período de exposição:
de 24/03 a 13/04, das 8h às 18h, de terça-feira a domingo
Local: Museu Frei Confaloni – Antiga Estação Ferroviária – Praça do Trabalhador, Centro