Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

MAC recebe maior exposição já realizada sobre artista de Goiás

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Boi (1958) - Coleção PUC

Em comemoração ao centenário do artista, o Museu de Arte Contemporânea de Goiás (MAC Goiás) abre em dezembro a maior mostra já realizada sobre Frei Nazareno Confaloni (1917-1977) – e a mais completa sobre um artista “goiano”. O vernissage de “ABC Confaloni – Modernidade inaugural e outras obras” está marcado para a próxima sexta-feira (8), às 18 horas, com a presença de autoridades, familiares do frei vindos da Itália e convidados.

A exposição fica aberta ao público a partir do dia seguinte, sábado (9). Às 9h30, o MAC vai oferecer um café da manhã aos visitantes, seguido por uma roda de conversa com Rossella Orsini, sobrinha do artista. A entrada é franca.

“ABC Confaloni” traz cerca de 300 obras, entre pinturas, desenhos, gravuras, esculturas, afrescos e objetos pessoais pertencentes a colecionadores locais, nacionais e familiares do artista. O conjunto engloba diversas técnicas, suportes e temas, entre eles retratos, paisagens, casarios, personagens populares e religiosidade. Há obras que nunca foram expostas, em especial as que vêm da Itália. E há ainda a reconstituição, em tamanho real, de seu último ateliê, conforme deixado quando de seu falecimento, em junho de 1977, aos 60 anos de idade – 27 deles vividos em Goiás.

Os itens foram mapeados e reunidos pelo produtor cultural, biógrafo e pesquisador Px Silveira, idealizador da mostra. Silveira pesquisa a obra do frei desde a década de 1980 e é autor de Conhecer Confaloni (premiado pela PUC, em sua 3ª edição) e Tempo Confaloni (a ser lançado com a mostra). Também realiza o projeto Raisonné Confaloni, iniciado em 2013. A curadoria pensada por ele – e dividida em curadorias setoriais, para as quais convidou Dayalis Perdomo (história), Sáida Cunha (obras internacionais) e Neusa Baiocchi (documentos) – permite conhecer as diferentes fases da vida e da obra do artista, mostrando-o por inteiro, sem recortes.

Já a expografia, assinada conjuntamente por Px Silveira, Gilmar Camilo e Cleandro Jorge, conta com recursos cênicos e eletrônicos para levar o observador a um percurso que se estende de 1935 a 1977, de forma a inspirá-lo e fazê-lo se aproximar do artista, transparecendo seu processo de criação e sua visão de mundo.

Em parceria com a produção da mostra, o MAC Goiás preparou uma série de atividades para os meses de dezembro, janeiro e fevereiro. A agenda prevê lançamentos de livros, palestras e encontros para tratar da vida e da obra de Confaloni, personagem que deixou uma marca indelével na sociedade, na cultura e na arte goiana.
 
Trajetória
Giuseppe Confaloni nasceu em Grotte di Castro, Itália, em 1917. Chegou a Goiás em 1950 como parte da missão evangelizadora da Igreja Católica na América. Sua primeira tarefa foi pintar os afrescos da Igreja do Rosário, na antiga capital do Estado, a cidade de Goiás.

Já em Goiânia, pintou também os afrescos da Igreja de São Judas, no Setor Coimbra, da Estação Ferroviária de Goiás e da antiga sede da Companhia Energética de Goiás (Celg), prédio hoje ocupado pela Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (Seduce).

Fundou a Escola Goiana de Belas Artes – primeira escola de arte, precursora do movimento modernista e fomentadora da arte em Goiás. Entre os artistas influenciados por Confaloni estão nomes referenciais das artes visuais no Estado, como Amaury Menezes, Siron Franco e Ana Maria Pacheco.

Anote!
Exposição “ABC Confaloni – Modernidade inaugural e outras obras”
Quando: 9 de dezembro de 2017 a 25 de fevereiro de 2018
Abertura para convidados: 8 de dezembro (sexta-feira), 18 horas, com autoridades e imprensa
Onde: Museu de Arte Contemporânea de Goiás/Centro Cultural Oscar Niemeyer
Quanto: Entrada franca
Mais informações: (62) 3201-4923