Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

La La Land: Por que o filme indicado ao Oscar divide opiniões?

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Emma Stone e Ryan Gosling

Além de igualar o recorde histórico de indicações ao Oscar, empatando com ‘Titanic’ e ‘A malvada’, o musical ‘La La Land: cantando estações’ acaba de atingir outro grande resultado: a marca de 1 milhão de espectadores. Esse número é realmente bem expressivo, sobretudo se considerarmos que ele tende a crescer, já que, a poucas semanas da cerimônia de entrega do prêmio da Academia de Hollywood, o filme ainda continua em cartaz em diversas salas de cinema mundo afora, incluindo o Brasil.

No Oscar, La La Land irá concorrer a 14 indicações e em 13 categorias, entre elas a de melhor filme, diretor, ator e atriz. No entanto, mesmo com esse reconhecimento da indústria e com o sucesso de bilheteria, o filme tem dividido opiniões. No final das sessões nos cinemas, é possível observar retornos bem distintos: por um lado, há aqueles que declaram ter amado o filme, por outro, há um número considerável de pessoas expressando suas insatisfações com a obra. Mas, porque essa divisão tão evidente?

Os mais cinéfilos e amantes da terceira arte defendem que o motivo principal para esse fenômeno é justamente o fato de ser um musical, gênero de filme que normalmente tende a atrair um público específico. Outra explicação apresentada por críticos de cinema é o burburinho gerado em torno do filme. Antes mesmo de entrar em cartaz, a obra foi muito bem comentada e divulgada na mídia, o que colaborou intensamente para a criação de grandes expectativas e um forte sentimento de espera. E já é sabido que quanto maior a expectativa, maior a chance de frustração.

A verdade é que, assim como qualquer manifestação artística, ‘La La Land’ está sujeito a diversas interpretações. Dessa maneira, nada mais natural que algumas pessoas se identifiquem com o filme, elogiando seu roteiro e produção, enquanto outras podem não encontrar aspectos de afinidade ou valorização em relação à obra. Com isso, a nossa sugestão é que, se você ainda não viu o filme, deveria ver, pois somente assim poderá opinar com conhecimento de causa. Para te ajudar, fomos conhecer a opinião de personalidades que já assistiram ao filme. Confira!

“La La Land é um filme que você vai amar ou odiar. Não existe um meio termo. É um musical, o que já é um ponto crucial para muitas pessoas. Mas, para os amantes da música, como eu, é uma experiência maravilhosa! A trilha sonora do filme está incrível e cada cena foi muito bem elaborada com excelente aproveitamento de cores, iluminação, movimento das câmeras e desempenho dos atores. Aliás, Emma Stone e Ryan Gosling dão um show de interpretação. O filme todo é um verdadeiro show! Música e dança é o que não falta. E o melhor: você sente que faz parte do show. A história, apesar de simples, é muito bonita e é outro ponto que se destaca. Afinal, quem não vive em busca de realizar um sonho? Ah… o final é de tirar o fôlego. Simplesmente, apaixonante!”, Bella Carazzatto, Cantora.

“Amo musicais e histórias de amor. Portanto, só poderia amar um filme como o La La Land, que em minha opinião é uma releitura, uma homenagem aos famosos musicais da etapa de ouro de Hollywood. Uma linguagem moderna, com uma trilha musical de primeira e o movimento elegante da câmera, que “dança” junto com o elenco. Transmite uma sensação deliciosa e nos coloca dentro da cena. Dá vontade de sair do cinema cantando e dançando pela rua”, Iracema Nogueira, Atriz e Celebrante.

“Na verdade, eu gosto de outro estilo de filmes, mas resolvi assistir ao La La Land por ser um filme que todos estavam comentando. Os pontos que me agradaram bastante foram pequenos detalhes, como quando o ator sutilmente abraça o poste e faz gestos que lembram o clássico ‘Cantando na Chuva’. Não sou muito fã de musicais e pelo que parece o filme tenta resgatar isso. A história dos dois é linda e provoca emoção em quem assiste. Porém, as trilhas sonoras me tiraram um pouco da atenção na atuação dos atores. Achei o roteiro e a história simples. Pra mim, isso é outro ponto positivo. O drama vivido pela personagem também emociona várias vezes. Do ponto de vista ‘visual’ achei fascinante o uso bem pensado de cores e contrastes. Independente de preferências particulares, sem dúvida é um filme muito competente para concorrer e ganhar uma premiação importante”. Alan Rocha, Apresentador de TV.

Traller:

Como canta Mia (personagem de Emma Stone) em sua última audição, na belíssima canção The Fools Who Dream, composta por Justin Hurwitz e indicada ao Oscar de Melhor Canção Original: “Um brinde àqueles que sonham, por mais tolos que eles possam parecer.”

Rodrigo Carvalho – Jornalista – MTB 55734