Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Ivaan Hansen reflete sobre desenvolvimento tecnológico em nova série de obras

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Chipado e o rinoceronte amarelo, de Ivaan Hansen (Foto: Emmanuel Gonçalves)

É possível aliar o desenvolvimento tecnológico à preservação do meio ambiente e dos costumes? Para o artista plástico Ivaan Hansen, sim. Esta é a temática da nova série de obras do artista, que trazem o que seria um ponto de equilíbrio entre a necessidade do homem em criar, experimentar, evoluir sem extinguir ou exterminar o planeta e ele mesmo.

Nas novas imagens criadas em acrílico sob tela, Hansen cria obras em torno de uma figura principal – “O Chipado”, como ele denomina, que representa o homem do futuro. Aliados ao personagem, o artista insere vários elementos, sejam eles da tecnologia, socioculturais ou da natureza, os quais são representados através de figuras simbólicas e frases de efeito.

Chipado e a panela, de Ivaan Hansen (Foto: Emmanuel Gonçalves)

A composição criada por Hansen remete à harmonia, de forma a fornecer ao espectador uma mensagem de como seria possível viver no planeta sem limitações e, ainda assim, preservando-o. “Está na nossa essência a possibilidade e a necessidade latente de modificar e criar coisas novas. No entanto, também é importante não negligenciarmos o fato de que o planeta Terra, com todas as suas características vivas e não-vivas, é a plataforma indispensável, portanto, intransponível, para toda e qualquer atual e futura façanha que venhamos fazer”, ressalta.

Natural de Chapecó, Santa Catarina, Hansen reside em Goiânia desde os anos 2000. Artista plástico e filósofo, é conhecido internacionalmente, com seu trabalho exposto pelo Brasil e mundo afora. Suas obras já estiveram em países como Estados Unidos, Itália, Espanha, Áustria, China e Tailândia, além de museus conceituados no Brasil, como o Museu Arte de São Paulo (Masp), um dos mais importantes em arte contemporânea da América Latina.

A partir das obras da série com ‘O Chipado’, Hansen também criou uma coleção da camisetas. As peças estão disponíveis do tamanho P a GG e logo estarão disponíveis para comercialização.

Zervas Art Clubs

O artista plástico Ivaan Hansen no seu ateliê em Goiânia (Foto: Emmanuel Gonçalves)

Ivaan Hansen assumiu recentemente a presidência da Zervas Art Clubs, ramificação da organização internacional cultural, artística e científica criada pelo artista grego Panagiotis Zervas.  No Brasil, ele e a vice-presidente Maria Di Jesus, também artista, querem demonstrar na prática o que é a verdadeira globalização cultural e social, com a visita e imersão artistas do mundo todo na cultura local goiana.

Além de pintar e mostrar suas habilidades artísticas, os participantes do projeto visitarão locais históricos e comunidades marginalizadas e necessitadas de atenção e inclusão. O foco principal são as crianças das periferias brasileiras. “Dar oportunidade para elas se realizarem artisticamente é pensar num país mais igualitário, justo, e humano, onde o futuro pode acontecer de fato”, destaca Hansen.

Primeiramente, a iniciativa será realizada em Goiás e depois, expandida para outros locais no Brasil, com a proposta de um evento internacional anual para recepcionar os artistas participantes do projeto.