Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Indelicada Cia. Teatral estreia peça inspirada em Shakespeare nas plataformas digitais

Grupo revisita a história de Hamlet com auxílio de memes, analogias políticas e o humor dos clowns.
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
@solomonrplaza-2698

A Indelicada Cia. Teatral, de Goiânia, viu os planos de seu novo projeto mudarem assim que começou a pandemia do novo Coronavírus. O grupo tinha um projeto de circulação presencial pelo Brasil, mas precisou adaptar tudo para o formato digital. Assim, o espetáculo O Príncipe estreia entre os dias 20 e 30 de agosto pelos canais do grupo no Youtube, Facebook e Instagram. A direção é de João Bosco Amaral e tem no elenco os atores Evandro Costa e Ricardo Fiuza.

“Em março faríamos uma circulação nacional com o apoio do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, com apresentações confirmadas no Distrito Federal e em Minas Gerais e já estávamos fechando agenda no Rio Grande do Sul e Tocantins. Tivemos que cancelar tudo por conta da pandemia. Agora mudamos a estratégia e vamos para o formato on-line, que na verdade já era algo que os integrantes da companhia pensavam em fazer”, conta o ator Evandro Costa.

Em O Príncipe, dois palhaços, Vânio e Kadu, contam a trágica história de Hamlet. A obra escrita por William Shakespeare há mais de 400 anos, ganha elementos cômicos e melodramáticos nesta proposta de encenação. Além de se basear na obra original de Shakespeare, a montagem recebeu influência de O Príncipe escrita por Nicolau Maquiavel em 1532.

“Nesta adaptação, os personagens narram de forma cômica a história do Príncipe da Dinamarca, ou seja, os próprios palhaços brincam de ser Halmet, Rei Claudius, Ofélia, o Fantasma, os guardas e o velho Polônio. A escolha foi levantar e destacar os pontos altos da peça, sem perder a trama principal: a podridão do Reino da Dinamarca. Nada melhor que dois palhaços expondo a corrupção, as traições e as brigas pelo poder. Rir ou não rir? Eis a questão”, fala o ator.

Na aventura pitoresca, Vânio e Kadu tornam a história ainda mais irreverente ao se utilizarem de uma linguagem politicamente incorreta, regada a memes e analogias com os tempos atuais. A política, a traição e a tragédia tornam-se um prato cheio para os personagens, que trabalham sob a ótica e o humor dos clowns, adotada no processo de criação da peça.

O Príncipe estreou em 2015, sendo a primeira montagem da companhia. A encenação passou por festivais de Teatro no Brasil e no exterior, com destaque para México e Equador. Como o espetáculo estava pronto, o grupo readapta a montagem para o formato digital. “O que muda são questões mais técnicas, uma vez que vamos transpor para as câmeras. É um desafio encontrar o tom da interpretação e repensar todas as interações com o público e as cenas que aconteciam com a plateia. Então, transpor todo esse jogo dos atores é a maior adaptação desta empreitada. E, como sempre fazemos, vamos trazer o contexto atual, com temas do cotidiano”, explica o artista.

Evandro ainda ressalta a vantagem de não ter barreiras geográficas. “Com as apresentações on-line acredito que teremos condições de alcançar públicos de diversas localidades, não só os que receberiam a circulação. Hoje, a internet é que permite a arte do encontro, sendo um espaço de grande abrangência e interação”, conclui.

“Em Goiânia, ainda não existe a possibilidade de reabertura para eventos artísticos e culturais presenciais, então o formato digital é mais uma opção de renda para um setor que tem sofrido sucessivas perdas, além do fato de estamos preocupados com a saúde do público e dos artistas. Deste modo, a Indelicada quer e precisa vivenciar este novo modelo. Esperamos colher os frutos desta iniciativa, isto é, nos conectarmos com espectadores de diversas partes do Brasil e até do mundo. Espero que esse espaço seja duradouro para nós e para os profissionais de teatro de todo o país”, finaliza Evandro.

O diretor João Bosco Amaral conta que todos os elementos cênicos foram repensados. Exploramos mais os detalhes, que normalmente não ficam tão evidenciados na apresentação presencial. Por isso figurinos, maquiagem, cenografia e iluminação foram redesignados, mas mantendo a atmosfera clownesca e teatral. A interatividade é a base das redes sociais, e o momento exige a readequação para que o teatro continue acontecendo.”

Serviço:

Espetáculo O Príncipe com a Indelicada Cia. Teatral

Classificação etária: Livre.

Ingressos: Grátis.

Duração: 35 minutos.