Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Governo de Goiás apresenta exposição “Intertextualidade, Desconstrução e o Insólito”, da artista paulista Anasor Ed Searom

Mostra faz parte do projeto “Exposições Virtuais no Centro Cultural Octo Marques”, disponibilizado no canal da Secult Goiás no YouTube. Serão 33 obras originais, algumas delas inéditas sobre a temática da pandemia de Covid-19
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Foto: Edgard Soares/Secult Goiás

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), abriu nesta quinta-feira (10/12), a exposição virtual “Intertextualidade, Desconstrução e o Insólito”, de Anasor Ed Searom, artista paulista reconhecida nacional e internacionalmente por suas obras enigmáticas e técnica singular de pintura.

A mostra faz parte do projeto Cultura em Casa – Exposições no Centro Cultural Octo Marques, disponibilizadas no canal “Secult Goiás” no YouTube. Com 33 obras originais, foi montada e filmada na galeria Sebastião dos Reis. É a 6ª exposição em formato digital disponibilizada ao público desde o início da pandemia de Covid-19.

Estão reunidas obras produzidas entre 2018 e 2020, que possuem entre si um fio condutor de intertextualidade, independente do tema abordado. A série mais recente traz a temática Covid-19, em que Anasor Ed Searom realizou releituras de obras consagradas da História da Arte que, com sua interferência, fazem refletir sobre a mundialização desta vivência pandêmica.

Outra série inédita para esta mostra é “Reflexões da Infância”, em que a artista constrói questionamentos sutis sobre limitação e liberdade ao retratar crianças envolvidas por fios dourados, dando margem a diversas interpretações.

Ainda trabalhando a temática de liberdade, a série “Sacos” leva ao público pinturas que questionam a liberdade de expressão. São pequenas composições em que existe um jogo de cena que, por sua vez, é interrompido pelas representações de sacos nos rostos dos personagens.

Também nesta exposição, estão algumas artes da série “Passa-loucas”, iniciada em 2013, considerada muito importante por sua imensa produtividade e impacto. Esta é a série mais duradoura da artista, em que aves brasileiras são  representadas nas mais diversas figuras.

Técnica singular

De acordo com análise do professor titular no Departamento de Literatura Inglesa, Cinema e Teatro da Universidade de Manitoba (Canadá), Fernando de Toro, as pinturas da artista possuem traços surrealistas, bem como apresenta convergência com a pintura flamenga, renascentista, expressionista, pós-expressionista, dentro outras escolas, mas que, nem por isso, se encaixa em uma ou outra.

“Anasor Ed Searom situa-se no que chamei em outro lugar de uma cultura mundializada, posto que ela se apropria de várias práticas pictóricas muito diferentes em tempo e espaços”, afirma. Fernando de Toro é amigo da artista e foi curador de várias de suas exposições.

A artista

Anasor Ed Searom é pseudônimo artístico de Rosana de Morais, que desde 2004 participa de exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. A artista plástica vive e trabalha em São Paulo, capital, e é doutoranda em Artes Visuais pela Unesp.

Suas obras estão presentes em diversos catálogos e publicações de artes, além de fazerem parte de coleções públicas e privadas brasileiras e em outros países. Mais de 15 livros foram ilustrados por ela, alguns deles premiados pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), adotados em território nacional.

Secretaria de Estado de Cultura – Secult – Governo de Goiás