Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Filme de Caco Ciocler é destaque na 1º edição do Festival Internacional de Cinema de Goiás

Foram mais de 7,9 mil horas de filmografia exibida em diferentes locais do país, como São Paulo, Goiânia, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, durante os quatro dias de Festival
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Foto: Divulgação/Globo

O 1º Festival Internacional de Cinema de Goiânia – Goiânia International Film Festival – I GIFF, realizado de maneira online e com recursos da Lei Aldir Blanc Estadual, contou com mais de mil pessoas, pela plataforma InnSaei.TV. Os dados do balanço do Festival mostram que há um público ansioso por produção audiovisual que vai além do circuito comercial, proposta apresentada pelo I GIFF. Foram 27 filmes exibidos em diferentes locais do Brasil, entre os dias 11 e 14 de maio.

Dentre os filmes mais assistidos, se destacaram as obras O Melhor Lugar do Mundo é Agora, de Caco Ciocler (SP); Trem do Soul, de Clementino Júnior (RJ); Primavera Púrpura, de Silvana Beline (GO); Vento Seco, de Daniel Nolasco (GO); Dois garotos que se afastaram demais do Sol, de Cibele Appes de Sousa Coelho e Lucélia Sérgio da Conceição (SP); Office, de Marine Pichon (FRANÇA); Três Vidas, Uma História, de Arthur Cintra (GO) e Abdução, Marcelo Lin e Marcelo José Ferreira Gomes (BH).

Para o realizador da Mostra, o goiano Cássio Domingos, o papel de promover conexões do Festival foi cumprido. “Diante da escassez de recursos para cultura e das pressões do cinema hegemônico, conseguimos realizar esta primeira edição com filmes que contrariam a lógica comercial e que buscam levar o espectador a ver e pensar novas formas do cinema contemporâneo. Houve conexões entre realizadores locais e nacionais com realizadores estrangeiros, e uma boa receptividade por parte dos que participaram do festival”, afirma Cássio.

Os amantes de arte e cinema também puderam participar gratuitamente da oficina de Direção de Arte, ministrada por Carol Breviglieri, que possui uma vasta experiência em produções audiovisuais nacionais. A curadoria ficou a cargo de Gustavo Vinagre, Vanessa Goveia, Raphael Gustavo da Silva e Flavia Candida.