Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Cia Catavento celebra 10 anos de trajetória com agenda de oficinas, lives e espetáculos

Atividades começam neste sábado (12) às 9h, com a oficina de introdução à maquiagem artística e caracterização, oferecida por Pedro Souza na sede da companhia
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Gabriela Lys)

Circo, política, cultura e formação profissional estão na pauta das primeiras atividades da Cia Catavento em 2022. Para celebrar 10 anos de estrada, a companhia de circo goiana promove entre fevereiro e maio uma programação híbrida que envolve quatro oficinas, quatro lives formativas com convidados de outros estados, a exibição de um vídeo circo, a transmissão do filme “Atravessar-se”, inspirado livremente na vida e obra de Cora Coralina, além da estreia de um documentário sobre a primeira década de atividades da companhia. As atividades começam neste sábado (12/2) às 9h, com a oficina de introdução à maquiagem artística e caracterização, oferecida por Pedro Souza na sede da Catavento. Todas as atividades são gratuitas e as pessoas interessadas nas oficinas devem se inscrever acessando o site: www.ciacatavento.com.br. Este projeto tem apoio da Lei Aldir Blanc.

Ainda em fevereiro, no dia 19, a programação vai oferecer uma live sobre “o fazer circense e as ações pensadas para a retomada das atividades do circo no período pós-pandêmico”. As atividades do mês serão encerradas com a exibição do filme “Atravessar-se”, no dia 25/2, com transmissão no canal do youtube da Cia Catavento. O filme é livremente inspirado na vida e na obra de Cora Coralina. Já em março, nos dias 12 e 13, será oferecida uma oficina de flexibilidade, na sede da Catavento, com Mellina Fioretti. A live do dia 19 vai pautar o papel das escolas de circo na formação de novos artistas. Ainda em março, os benefícios da prática circense para o público amador serão discutidos também em live no dia 26. As lives serão transmitidas no perfil do instagram da Cia Catavento. Já o filme, o vídeo circo e o documentário serão exibidos no canal do Youtube da companhia.

Em abril, nos dias 2 e 3, o projeto vai oferecer uma oficina de aéreos dinâmicos, com Felipe Nicknig. No dia 23, a última live do projeto vai discutir “por que devo ir ao circo? Qual a importância dos espetáculos circenses para a formação humana?”. As atividades de abril serão encerradas com a exibição do vídeo-circo “O Acaso”, no dia 30, na sede da Catavento. Por fim, em maio, entre os dias 5 e 7 será oferecida a última oficina, voltada para professores da rede pública de ensino. Felipe Nicknig e Marina Amorim compartilharão recursos pedagógicos envolvendo o circo a serem trabalhados em sala de aula. O projeto será encerrado com chave de ouro no dia 14 de maio com a estreia do documentário comemorativo de dez anos da companhia.

10 anos de Cia Catavento

A história da Catavento Companhia Circense começa em 2011 a partir da vontade e curiosidade por investigar e pesquisar novas possibilidades, formas e estéticas no universo do circo. Em 2019, a cia inaugurou sua nova sede, no setor Bela Vista, em Goiânia, em um galpão de 310 m2. Trata-se de um centro cultural dedicado ao circo onde a companhia desenvolve todas as suas atividades: pesquisas, criações, formações, aulas de iniciação, curso profissional, ensaios da companhia, além das residências/workshops.

Nos cursos livres de circo, a Catavento Companhia Circense oferece aulas para cerca de 150 pessoas entre crianças, jovens e adultos em aulas amadoras de circo. Anualmente, a Catavento recebe entre 10 e 15 artistas para frequentar o NUFAAC (Núcleo de Formação Ampliada para o Artista de Circo). Ao longo dos últimos anos a Catavento Companhia Circense tem se destacado no cenário circense regional e nacional através da atuação estratégica e pela qualidade dos projetos. A companhia recentemente estreou dois novos trabalhos: o vídeocirco “O Acaso” e o Filme “Atravessar-se”, livremente inspirado na vida e na obra de Cora Coralina.

No último período participou de importantes festivais: Festival de Circo de Taquaruçu (2020), Festival Aldeia SESC de Artes (2020), Festival Internacional de Circo de SP – FIC (2020), 1o Festival de Cinema e Memórias Cerratenses (2021), Festival Latino-americano de Artes “Juntos” (2021), e recentemente a Catavento Companhia Circense participou do 20o Festival Mundial de Circo de Belo Horizonte e foi selecionada no Edital Nacional de Artes da Qualicult.

Em reconhecimento ao trabalho desenvolvido e pela notória contribuição com o desenvolvimento artístico/cultural regional e o cenário circense, a Catavento Companhia Circense foi premiada com o Troféu Buriti, concedido pelo Conselho Municipal de Cultura de Goiânia ano 2017/2018 e em 2019 foi premiada com Diploma de Destaque Cultural e Medalha de Mérito Cultural do Troféu Jaburu, concedido pelo Conselho Estadual de Cultura e Casa Cível do Estado de Goiás ano 2018/2019.