Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Conheça 7 cuidados necessários ao viajar de carro com seu pet

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Foto: freepik/br.freepik.com)

Com a aproximação do feriado de Tiradentes, celebrado em 21 de abril, muitas pessoas fazem planos de viajar para aproveitar os quatro dias de lazer, já que a data este ano será lembrada em uma quinta-feira e muitos escritórios oferecem a possibilidade da “emenda” da sexta aos funcionários.

Quem conta com esta possibilidade e tem pet, muitas vezes deseja levar o animal para o destino de descanso, especialmente se a viagem for realizada de carro. Para que tudo ocorra em segurança, confira sete cuidados apontados pela Dra. Natália Lopes, Médica-Veterinária e Gerente de Comunicação Científica da Royal Canin Brasil, para um trajeto tranquilo e não prejudicial ao gato ou cão:

  1. Garanta a segurança do seu pet com uma caixa de transporte adequada ao tamanho dele. “Se o pet for um cão de grande porte, um cinto de segurança canino é uma ótima opção”, comenta Natália;
  2. A caixa de transporte do pet deve estar sempre no banco de trás do carro, presa pelo cinto de segurança;
  3. Programe bem as refeições do animal no dia da viagem e não ofereça alimentos poucas horas antes de entrarem no carro. “Também não é recomendada a alimentação do pet durante eventuais paradas, para evitar o desconforto gastrointestinal e enjoos, a não ser que haja a necessidade de seguir horários estritos”, explica;
  4. Acostume o pet a entrar na caixa de transporte e no carro, mesmo que não pretenda sair outras vezes com ele ao longo da viagem. Desta forma, o animal irá se familiarizar com o ambiente e se sentirá mais seguro;
  5. Durante a viagem de carro, é fundamental programar paradas para que o pet possa beber água e fazer suas necessidades. Lembre-se de ter em mãos saquinhos higiênicos para recolher as fezes do animal de estimação nesses momentos;
  6. Converse com o médico-veterinário sobre a viagem, necessidades e eventuais contratempos e informe o seu destino, assim ele poderá avaliar se mais alguma medida preventiva será necessária;
  7. Por fim, saiba que transportar o pet no banco de passageiro, no colo ou entre as pernas do motorista é considerado infração de trânsito. Adote esses cuidados para, além de garantir a segurança e o conforto do seu pet, também evitar penalidades como multas e pontos negativos na carteira nacional de habilitação.