Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

No Dia Mundial do Gato veja curiosidades e dicas de como cuidar do pet

Especialista orienta os tutores na feliz jornada
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Divulgação/DogHero)

Dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) apontam a existência de 25,6 milhões de gatos nos lares do Brasil. O levantamento revela ainda que, de 2019 para 2020, o crescimento médio geral de felinos no país foi de 3,6%. Com a fama de “animais misteriosos” e dotados de comportamentos especiais que superam a curiosidade humana, os gatos são animais fantásticos que despertam amor e carinho onde habitam e até possuem uma data própria. O “Dia Mundial do Gato” é celebrado no dia 17 de fevereiro.

Os bichanos são especiais, e quem é pai ou mãe de um gato sabe disso. Muitos tutores até percebem que o seu pet às vezes sente que alguma visita vai chegar. Pois é, gatos conseguem escutar até três vezes mais que os seres humanos, e possuem a capacidade de escutar sons que nós humanos não conseguimos detectar, como por exemplo o som de algumas presas.

“Outra característica extremamente importante é o olfato da espécie, que costuma ser em média vinte vezes mais potente que o nosso. Isso também acontece porque os gatos deixam marcas no ambiente, justamente para ter mais segurança”, declara Thais Matos, médica veterinária da DogHero, empresa voltada para serviços para pets na América Latina.

A médica veterinária explica que essas marcas costumam ser deixadas pela arranhadura e pela marcação da face e outras partes do corpo, onde feromônios e outros cheiros serão depositados ali. “Marcar o seu território é a principal maneira que o gato tem de se sentir mais seguro e menos ameaçado. Por isso é tão importante ter diversos arranhadores pela casa”, completa Thais, que listou 4 curiosidades para ajudar os tutores na feliz jornada de ter a companhia de um felino, são elas:

Por que os gatos ronronam quando dormem?

Isso é muito comum. No geral, se o pet dorme ronronando significa que ele está muito feliz e relaxado! Há indícios de que o ronronar durante o sono pode ser uma forma de reparação após um momento de dificuldade ou estresse intenso.

Pode dar banho em gato?

A orientação aqui é de consultar o médico veterinário de confiança para entender se é necessário ou não, pois a indicação do banho em gatos varia de acordo com a rotina, hábitos e até saúde do pet. Gatos de pelos longos, como o Maine Coon, por exemplo, precisam de cuidados com o pelo e escovações diárias. Assim como os gatos Persa e Himalaio, que estão na lista das raças mais comuns do mundo. Todos os gatos precisam desse cuidado também, a fim de evitar, por exemplo, a famosa bola de pelo, justamente por eles se lamberem muito, realizando essa autolimpeza.

Por que os gatos eliminam bolas de pelo?

Quando o gato se lambe para tomar banho, ele acaba engolindo alguns pelinhos que já estão soltos. Durante essa higienização, eles acabam engolindo pelinhos e correm o risco de formar bola de pelo dentro deles. Algumas vezes, eles vomitam ou defecam para eliminar o que ingeriram. No entanto, por vezes, também não conseguem expelir. Quando não conseguem eliminar os pelos, esse conteúdo ingerido acaba no estômago e como o organismo do bichano não o digere, o que foi engolido vai se acumulando aos poucos. Se isso acontecer, o pet pode ter dificuldade para digerir alimentos e acabar ficando doente. A bola de pelo impede que a ração passe do estômago para o intestino. Com isso, ele começa a emagrecer e pode apresentar diversos sinais clínicos. Pode até parecer estranho, mas ver o gato vomitando bola de pelo é algo bom. Isso mostra que ele está conseguindo eliminar o que ingeriu. O mesmo vale para quando o tutor encontra pelo nas fezes. Se isso ocorre, é porque nada está ficando acumulado em seu estômago. Pode ser um ponto de atenção quando o tutor nunca vê o gato vomitando bola de pelo, nem sendo expelida pelas fezes. Nesses casos, é necessário alterar o manejo diário, oferecendo petiscos apropriados ou graminhas que estimulem essa eliminação. Dessa forma, o melhor é evitar a bola de pelo em gato. Isso é possível com cuidados diários e alimentação adequada.

O que o miado do gato está dizendo?

(Foto: Divulgação/DogHero)

O miado de gato mais comum é o de pedido de atenção, seja por querer carinho ou um pouco de ração úmida. Para compreender melhor, analise o tipo de som emitido juntamente com o comportamento do pet. Por exemplo, se você perceber os gatinhos miando, indo e voltando da cozinha, é porque eles provavelmente querem ração ou água. Já se eles subirem em seu colo ou se acariciarem em objetos próximos a você, estão querendo carinho. Existem outros motivos pelo qual os bichanos miam, são eles:

  • Irritado: miado longo e estridente significa irritação. Nesse caso, o tutor nota o gato miando muito, até que seja atendido;
  • Medo ou estresse: costuma ser constante e pode soar como se fosse um choro. É o que acontece, por exemplo, quando o gatinho entra em um cômodo, a porta bate e ele fica preso;
  • Cio: miado constante e “encorpado”. Esse é bem característico e uma vez que você ouve, nunca mais se esquecerá. Funciona como um chamado para o gatinho macho e, por isso, é alto;
  • Fome: miado alto, rápido, com alteração de comportamento, indicando o potinho de comida ou o saco de ração;
  • Miado de dor: nesse caso, o miado de gato é constante, mais grosso e semelhante a um choro;
  • Briga ou raiva: miado estridente, alto e longo, que se mistura a sons que vão além de um “miau”. Comumente, isso pode acontecer por disputa de território;
  • Chamando os filhotes: miados curtos, baixos, com o chilrear no meio. Para quem não conhece, o chilrear é um barulho que a gatinha faz com a boca fechada. O som é curto e serve também como cumprimento entre gatos;
  • Amor: miados curtinhos e baixos, enquanto dá “lambidinhas” ou “mordidinha” no nariz, é miado de amor. Ele também costuma “afofar” e ronronar.