Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Halloween bom pra cachorro

Marca especializada em moda pet tem roupas e acessórios temáticos para deixar os bichinhos de estimação prontos para a festa mais assustadora do ano
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Fotos: Acervo pessoal

A festa temática típica dos Estados Unidos e apreciada por muitos também no Brasil, chamada de Halloween ou Dia das Bruxas, celebrada em 31 de outubro, também conta com a participação dos animais de estimação. A data é um sucesso entre os donos de pets que aproveitam a ocasião para deixar seus amigos de quatro patas bem estilosos. Os temas variam com acessórios de abóboras,  chapéus de bruxas, aranhas, capas de vampiros, mas sem provocar susto em ninguém.

Para atender a demanda, marcas especializadas em moda pet produzem coleções exclusivas para a data, que são de encantar. Um exemplo é a Cantinho do Cachorro, loja especializada localizada no Estação da Moda Shopping, que deu um toque bem fofo à coleção de fantasias para os parceiros pets. Longe de ser considerado um excesso de cuidado, a empresária e estilista, Waldirene Gles, explica que os donos de cachorro são muito cuidadosos com seus bichos e as roupas temáticas são uma forma de expressão desse cuidado.

Foto: Divulgação

Um estudo feito por cientistas do Hospital Geral de Massachusetts, por exemplo, analisou o comportamento do cérebro de mulheres ao ver imagens de seus filhos ou de seus cães. As estruturas neurológicas que se manifestaram durante a ressonância magnética eram as mesmas, o que levou o estudo por amostragem a concluir, que o amor pelos bichinhos é muito próximo, senão igual, ao que as mães têm pelos filhos. “Não por acaso, o tratamento dado a eles é tão semelhante, e o que fazemos aqui é uma maneira de reforçar esse vínculo entre os pais de pet”, defende Gles.

Por isso, para cada época do ano ela lança novidades, como no Natal, Carnaval, temporada junina e até mesmo nas mudanças de estação, quando no inverno, peças específicas para os cães com menos pelagem tem alta saída. “As fantasias são sempre muito confortáveis com tecidos que deixam tanto gatos como cachorros muito à vontade”.

Mercado aquecido

A Pesquisa Nacional da Saúde (PNS) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) relativa a 2019, mostrou que 46,1% dos domicílios do País possuíam pelo menos um cachorro. Em Goiás, 58,2% das casas têm ao menos um cão. Em Goiânia, 49,1% têm cachorros, e 10,7% dos domicílios responderam ter, pelo menos, um gato.

Para atender todo esse público, o mercado de produtos pets vem se desenvolvendo a cada ano. De acordo com levantamento da Euromonitor International, atualmente o Brasil é o segundo maior mercado de produtos pet, com 6,4% de participação global, pela primeira vez acima do Reino Unido (6,1%). Os Estados Unidos têm 50% do mercado.

O faturamento total do segmento incluindo indústria e varejo, foi de R$ 35,4 bilhões até o terceiro trimestre de 2019. Um crescimento de 3% sobre o ano anterior inteiro, que registrou R$ 34,4 bilhões, segundo o Instituto Pet Brasil. No PIB, o Produto Interno Bruto do País, isso já se traduz em uma fatia de 0,36%, superior aos segmentos de utilidades domésticas e de automação industrial, de acordo com  a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet). Atenta à essas demandas, Waldirene investe em qualidade e conforto para seus clientes de quatro patas. “Eu mesma tenho minha filhinha que usa meus modelos e adora”, brinca.