Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Fabiana Bellini assina projeto paisagístico com atmosfera minimalista

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Tudo o que envolve natureza está ligado imediatamente às sensações, afinal, o verde tem um poder sinestésico incontestável. Sendo assim, trabalhar com projetos paisagísticos requer sensibilidade e muita delicadeza. É assim que a paisagista Fabiana Bellini, responsável pelos jardins desta residência em Goiânia, atua. “É um projeto que transmite leveza, harmonia, contemporaneidade e ao mesmo tempo aconchego”, enumera.

De acordo com a profissional, a arquitetura da casa serviu de embasamento para desenvolver o projeto e ela ainda apostou em conceitos minimalistas. “Os moradores são jovens que trabalham muito. Eles queriam poucas espécies de plantas e que elas fossem de fácil cuidado”, explica ela. Desde a fachada, é possível perceber a suavidade com que Fabiana inseriu o verde.

Com um terreno cujo declive acentuado poderia complicar o planejamento, a paisagista garante que o maior desafio foi a área da piscina. “Tivemos o cuidado de proporcionar certa privacidade sem tirar a vista maravilhosa que eles tinham do lago”, afirma. No espaço, foram inseridos jasmins-manga, palmeiras carpentaria e, como forração, o capim do Texas roxo.

Já a fachada da residência ganhou palmeiras tamareira e lavanda. No talude, a paisagista optou pela chamada sagu-de-jardim e para o contorno das paredes de vidro frontais foi escolhida a espécie fórmio. Com o inclinamento, a disposição das plantas promoveu um contraste moderno com as linhas retas predominantes na parte frontal da casa. “O paisagista tem que ter a sensibilidade de não fazer o paisagismo competir com a arquitetura, e sim agregar os elementos”, arremata a profissional.

(Foto: Ângela Motta)