Confira dicas e ideias de como iluminar quarto de descanso de crianças e adolescentes

Independentemente da proposta, o dormitório precisa de uma iluminação que favoreça o bem-estar

O quarto representa um dos ambientes favoritos para boa parte das pessoas, especialmente em fases de transição, como infância e adolescência. Afinal, o espaço funciona como um refúgio para sonhos, brincadeiras e momentos de concentração e aprendizado. Seja qual for o estilo pessoal, ou a idade, é importante que a luz seja uma aliada, não só para decoração, mas no desenvolvimento, desde os primeiros dias de vida até a adolescência. Confira dicas e ideias separadas pela Yamamura.

Temperatura de cor

Iluminação
Quarto infantil assinado pela Kaleidoscope Arquitetura (Foto: Emerson Rodrigues)

De forma geral, para todas as fases da infância e adolescência, a temperatura de cor mais recomendada é a branco quente, porque traz mais acolhimento ao espaço, assim como transmite tranquilidade, para não causar estresse e agitação. O uso de cores em detalhes da decoração também é uma ideia interessante. Nesses casos, os tons pastel, como azul, rosa, salmão e verde são boas opções.

Período de mudanças

limuninação quarto
Quarto projetado pelo escritório Fan Interior Design (Foto: Emerson Rodrigues)

Na fase de crescimento, é preciso prestar atenção em cada detalhe do ambiente, para que ele possa contribuir para um desenvolvimento saudável das crianças. Se o conforto e a ergonomia dos espaços são sempre levados em conta pelos pais em busca de móveis adequados de acordo com a idade dos filhos, a iluminação é um item de grande importância que costuma ser esquecido. Sendo assim, um bom projeto luminotécnico pode contribuir com as atividades diárias e, até mesmo, auxiliar no aprendizado, quando posicionado corretamente na mesa de estudos. Já, uma iluminação ruim pode até prejudicar a visão, pois em muitos casos, as crianças acabam forçando a vista para enxergarem melhor.

Quarto de crianças

Espaço colorido e lúdico. Projeto de Zimbro Arquitetura (Foto: Emerson Rodrigues)

Para quem já é mais crescidinho, a dica é apostar em iluminações indiretas em determinadas áreas que necessitem de uma luz mais suave; luzes difusas para iluminação geral; e pontos focais, todas em circuitos diferentes para o melhor desempenho do projeto. Convém apostar não somente em uma única solução luminotécnica, mas sim em várias, como os abajures, arandelas, luminárias de piso, plafons e pendentes em vários locais do quarto e não somente no teto, respeitando sempre a particularidade de cada situação.

Quartinho do Bebê

iluminação para quarto de bebê
Projeto da arquiteta Luciana Ballio (Foto: de Emerson Rodrigues)

Nesse caso, os cuidados são ainda maiores. Por isso, vale investir em uma luz suave que deixe o ambiente sereno. Como o bebê tem pouco tempo de vida, ele está em fase de adaptação ao meio e, portanto, fatores como sensibilidade à luz, tornam-se mais presentes. A dica fica por conta da iluminação indireta – em paredes ou sancas, com arandelas ou fitas de led – além das luminárias de piso ou abajures com cúpulas, pois proporcionam uma luz indispensável para um descanso tranquilo. Outra opção é investir na dimerização, que permite o controle da intensidade de luz. Por fim, outra ideia é o uso da automação, com a criação de cenas para diferentes momentos.

Leitura e Estudos

As luzes de apoio como luminárias de mesa e de piso são ótimas para criar um ambiente gostoso para a leitura. Além de direcionarem a luz para um ponto focal específico, também proporcionam um espaço mais flexível para a realização das atividades. Para os momentos de estudo, a bancada ou a mesinha deve contar com uma iluminação na parte superior e, de preferência, na temperatura branco neutro, para ajudar na concentração.

Brincadeiras e Criatividade

iluminar quarto gamer
Neste quarto de adolescente criado por Luciana Ballio, a luminária Hue Go, da Philips, possibilita grande variação de cores na iluminação (Foto: Emerson Rodrigues)

Também é relevante verificar a luminosidade para locais muito utilizados crianças e jovens, como os cantinhos de descontração. Pensando na prevenção de acidentes, no primeiro caso, a recomendação é trabalhar uma iluminação difusa e bem distribuída, para que a criança veja onde está pisando. As luzes dimerizáveis também são boas pedidas, pois garantem melhor funcionalidade a depender da atividade. Quando o assunto é aflorar o lado criativo, os tipos de peças mais indicadas são as que possuem um design mais lúdico, com aplicabilidades interativas. Portanto, aposte em luminárias que mudam de cor, como as RGB e luzes inteligentes – que se conectam com games, músicas e filmes e trazem mais entretenimento.

Deixe um comentário


Confira também