Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Corredores: boas ideias de aproveitamento deixam espaço mais funcional e atrativo

Profissionais de arquitetura explicam como explorar o ambiente para muito além da interligação entre os cômodos
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Neste corredor no hall de entrada a madeira freijó revestiu as paredes e ainda concebeu uma estante com armários e nichos (Foto: Evelyn Müller)

Com o encargo principal de conectar, geralmente entre os ambientes da área social com a ala íntima – quando se trata de uma residência –, os corredores são responsáveis pela preservação da privacidade dos cômodos e dos moradores. Mas muito além do ir e vir, há muito tempo o ambiente deixou de ser apenas de ‘passagem’ e desapercebido na arquitetura de interiores. Pelo contrário! O local passou a ganhar mais vida, estilo e aplicabilidade por meio da decoração, uso de cores e a inserção de elementos que, além de contribuírem na rotina da casa, provocam um efeito visual muito mais atraente.

Todavia, é preciso evitar o excesso para que o espaço não fique sobrecarregado e deixe de proporcionar a fluidez para quem transitar por lá. A arquiteta Isabella Nalon trabalha sempre com o objetivo de agregar uma proposta a estes ambientes. “Muito além de uma área de circulação, podemos criar sensações interessantes, despertar curiosidades e transmitir a personalidade daqueles que habitam na casa”, afirma. Em seu ponto de vista, o intuito de sair da mesmice e ousar, combinando com estilo decorativo dos demais cômodos, é plenamente possível.

Décor mais atrativo

Em um primeiro olhar, pode parecer que não há muito o que fazer em termos de decoração nos corredores. Contudo, o ambiente pode ser útil para ampliar os espaços dentro de casa, ainda mais em apartamentos com plantas reduzidas. “Armários planejados são muito bem-vindos. Todavia, é fundamental que o corredor disponha de uma largura confortável para que a área de transição seja útil. Por exemplo, na interligação com os dormitórios, cai muito bem a ideia de um roupeiro para guardar roupas de cama e toalhas”, sugere a arquiteta Camila Corradi, do escritório Corradi Mello Arquitetura.

Na opinião de sua sócia, a designer de interiores Thatiana Mello, não há questões limitantes para investir em escolhas que possam agregar um diferencial. “A realização de um galery wall fica superespecial e não ocupa espaço”, garante.

Além dos móveis, outras peças deixam o corredor mais encantador. Os espelhos, por exemplo, aumentam a amplitude do ambiente e são perfeitos para espaços reduzidos, além disso, despertam o interesse no corredor, tornando-o mais sofisticado. Investir em espelhos arredondados ou retangulares é outra estratégia preciosa, pois quando iluminados indiretamente favorecem ainda mais o espaço. “Vasinhos de plantas também ficam superbacanas”, adiciona Isabella.

Aqui o caminho que leva o morador para a área reservada do apartamento foi decorado com mais de 100 fotos clicadas nas viagens realizadas por ele (Foto: Evelyn Müller)

Medidas

Não existe um tamanho ideal para o corredor disposto em um hall de entrada ou na área íntima do projeto. Todavia, ter como referência uma largura mínima de 0,90 a 1m permite que a circulação se torne confortável e o transporte de materiais seja realizado sem esbarrar nas paredes. “Considero que 0,80m é uma dimensão muito incômoda. E quando o projeto permite, podemos trabalhar com metragens de 1,20 a 1,50m”, detalha Isabella Nalon. Em se tratamento de comprimento, a metragem influencia diretamente na iluminação e na percepção que o morador terá do espaço. Em projetos mais amplos, Isabella recomenda um indicador de até 5m, haja vista uma dimensão superior pode trazer ao habitante a impressão de estar andando em um funil. “Além do que, a iluminação precisa ser ainda mais eficaz, pois qualquer falha pode deixar o corredor escuro”, acrescenta.

Neste corredor estreito, foram inseridos espelhos para ajudar na amplitude (Foto: Julia Herman)

Paredes

Com o propósito de deixar o ambiente mais descolado, uma boa opção é utilizar pintura bicolor: com duas cores diferentes na mesma parede, é possível criar um efeito vintage ou contemporâneo, sendo que as paredes mais claras são eficazes para o efeito visual de extensão. No contraponto, se a finalidade for ‘estreitar’, a paleta mais escura costuma ser a mais indicada e, quando utilizada nas paredes do fundo, produz a percepção de que a parede está mais próxima. “A ressalva que faço aqui diz respeito à aplicação em corredores menores. No oposto, pode causar desconforto em espaços mais extensos”, adverte Isabella Nalon.

Iluminação

Por ser um local que recene pouca luz dentro da casa, o corredor requer uma iluminação específica e diferente dos outros cômodos. Neste espaço, é possível produzir alguns efeitos, sendo que o recomendado é optar por peças como arandelas de fachos e balizadores de parede para assegurar um resultado delicado. Outra possibilidade é inserir uma iluminação mais cênica para destacar forro de gesso.

Neste projeto, o corredor que leva os moradores aos dormitórios é predominantemente branco (Foto: Mariana Orsi)