Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Em Goiás, Construtech democratiza o acesso à projetos de arquitetura

InstaCasa é uma solução digital que une arquitetura e tecnologia
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Apesar de Goiânia ser uma cidade em ritmo de verticalização, o crescimento horizontal é muito mais intenso que a construção de apartamentos. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 82% dos 502 mil domicílios ocupados da capital são casas.  Essa realidade aponta para a importância da prática do planejamento urbano por parte não apenas dos loteadores e incorporadores, mas também daqueles que constroem sua habitação após a aquisição do lote.

O primeiro passo para a construção regular seria a contratação de um profissional habilitado, mas um estudo do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil com o instituto Datafolha aponta que, entre os que construíram ou reformaram um imóvel, 85,40% fizeram o serviço por conta própria ou com pedreiros e mestres de obras, amigos e parentes.  Essa, inclusive, é a maior causa dos problemas que resultam em autuação ou embargo na capital goiana, segundo informações da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano Sustentável de Goiânia.

Atualmente, existem 6151 obras embargadas na capital. Os processos em andamento são uma amostra da realidade das construções irregulares, um universo muito mais amplo nas cidades. Para a própria secretaria, os processos em andamento não representam a totalidade do problema, haja vista a pequena quantidade de auditores disponíveis diante do universo que precisa ser fiscalizado.

“No dia a dia, percebemos que esse problema atinge principalmente o público do segmento popular. Após comprar o lote, eles partem a construção de formiguinha, de cômodo a cômodo. Além da dificuldade econômica para pagar pelo projeto, falta também a clareza da diferença que pode fazer em seu imóvel, do ponto de vista de funcionalidade e estética, o que reflete diretamente em sua qualidade de vida, na valorização e na do bairro”, explica o diretor da Tropical Urbanismo, Leandro Daher.

Foi essa observação da realidade que a levou a trazer pioneiramente para Goiás a InstaCasa, uma construtech criada em 2017 em São Paulo, que democratiza o acesso a projetos arquitetônicos. A startup, que já está presente em mais de 8 estados brasileiros, chegará a Goiânia a partir de agosto de 2020, disponibilizando os projetos de arquitetura para construção de casas e sobrados em alguns empreendimentos da Tropical Urbanismo e Incorporação, começando pelo loteamento Jardim Europa e o condomínio fechado Parque das Acácias.

Para os compradores do lote, basta definir os filtros para o projeto ideal como, por exemplo, o número de dormitórios, área construída e até referência de estilo arquitetônico. Em poucos segundos, é possível visualizar as opções em 3D e ter uma noção real do que é possível fazer no espaço. Quem adquire o lote, ganha acesso a plataforma da InstaCasa e pode escolher um dos inúmeros projetos arquitetônicos disponíveis para o empreendimento, custeados pela loteadora.

Segundo o fundador e CEO da startup, Maurício Carrer, a InstaCasa funciona como o “decorado do lote”. “Temos uma equipe de arquitetos que desenha todo o projeto de implantação, com tamanho dos lotes, aclives e declives, além da legislação vigente. Depois, criamos projetos que se adequam aos espaços, em diferentes configurações e estilos. No total, cada loteamento tem de 150 a 600 opções diferentes de projetos”, comenta o empreendedor.

A plataforma também informa o custo estimado para a execução de cada projeto, calculado de acordo com o Custo Unitário Básico (CUB) de cada estado.  O projeto segue a legislação vigente do município do lote em aquisição. Após a entrega do lote, a startup ainda auxilia nas etapas de aprovação e financiamento da obra.

Com mais de 10 anos de experiência no setor, Carrer conta que quando se formou em arquitetura e começou a trabalhar em incorporadoras, captou uma das grandes dores dessa área. “Quando um loteamento começa a ser comercializado, o loteador não mostra o que o comprador está buscando, que é a casa que ele quer construir e hoje os consumidores estão mais exigentes e trazer a tecnologia para o setor ajudou nesses gaps”, conta.

Leandro Daher considera ser também uma contribuição para o planejamento urbano, uma vez que os novos bairros ficam com a arquitetura regularizada e harmoniosa.  “Os bairros serão erguidos sob um novo olhar que traz estética e, acima de tudo, funcionalidade, sem demandar investimento extra do proprietário. As ruas ficarão mais bonitas e isso deve impactar na qualidade de vida e claro, na valorização”, explica.

A expectativa também é que a construtech atenda a demanda por casas que aumentou em razão da pandemia. “Em razão do isolamento social e da vivência do home office, as famílias passaram a valorizar buscar por mais espaço privativo, mais convivência com o verde. Para esse público que está migrando para as casas, a InstaCasa pode ser uma solução prática, ágil e acessível”, finaliza o diretor da Tropical Urbanismo e Incorporação.

Nova experiência através de realidade aumentada e tours virtuais

A realização do sonho da casa própria envolve um processo complexo, que se inicia na compra de um lote. Com o objetivo de auxiliar pessoas a visualizarem as possibilidades de casas em seus terrenos a InstaCasa leva tecnologia aos empreendimentos da Tropical Urbanismo e Incorporação. Sem mesmo sair de sua atual casa será possível visualizar os projetos dos empreendimentos também através de realidade aumentada e realidade virtual, podendo ver em 3D os projetos de arquitetura das casas que poderão ser construídos no Jardim Europa e no Parque das Acácias.

Confira a tecnologia de realidade aumentada e realidade virtual baixando o app da InstaCasa na Google Play ou App Store.