Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Belo e suave

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

No final de uma das escadarias da Casa Cor Goiás 2014, surge um espaço iluminado com cores claras e suaves. O visitante se surpreende com a beleza e plasticidade do Studio. Criado pela arquiteta Carine Rocha Machado como um refúgio para reflexão e trabalho, é uma homenagem à designer de joias brasiliense Carla Amorim. 

O projeto une elementos ligados à natureza, arquitetura e sagrado. “Esses três itens são essenciais às criações da Carla, que tem um trabalho fantástico, e que se aproxima do que eu pretendia transmitir no Studio”, explica Carine.
Com 27 m² bem aproveitados, o espaço tem papel de parede Summerflex com textura de tecido em tons perolados. No piso, um porcelanato italiano reproduz com perfeição o mármore Calacata. A sala traz um suntuoso sofá de veludo, mas o ponto focal do ambiente é o tapete Aubusson. Com traços florais, é uma joia da tapeçaria francesa e bordado à mão, o que agrega valor material e cultural. Uma mesa de centro feita de acrílico deixa o tapete à mostra. Na parede oposta ao sofá, um espelho recostado garante amplitude ao local. O espelho, os cristais, as pratas e os muranos são da Villa Bueno, e com os croquis de Carla Amorim, emoldurados e expostos acima do sofá, compõem com harmonia o espaço.
À direita da entrada, uma agradável surpresa: o “cantinho da inspiração”. A antiga sacada dá lugar a uma berlinda baseada no conceito de “bay window”. Banhado por luz natural, o espaço se projeta para o exterior, onde é possível ver o jardim através dos vidros. Eles estão protegidos por persianas de tecido Summerflex emolduradas por xales. Futons brancos garantem o conforto para a contemplação. “A Carla costuma buscar inspiração no jardim, e foi dessa forma que ele se incorporou ao espaço”, completa. Ao lado, o “cantinho sagrado” traz uma imagem religiosa na parede. Uma escrivaninha de antiquário, que faz referência ao estilo Luís XVI, se transformou em um oratório.
Para chegar ao “cantinho da criação”, a arquiteta fez dois pórticos com molduras de gesso em estilo Art Nouveau. Entre eles, um armário exibe joias feitas por Carla Amorim, fotografias e pedras preciosas.

Identidade
A mesa de trabalho em Silestone Daria, desenhada pela própria Carine, dá identidade ao Studio. “Escolhi fazer a mesa em pedra porque esta, em outras composições, também é matéria-prima para o trabalho da designer de joias. O desenho ousado de um dos pés da mesa foi um limitador para concretização deste mobiliário, porque envolvia recortes complexos e lapidação, mas a Marmorarte realizou um trabalho primoroso, o que resultou em uma mesa única e bem acabada.”
Acima, 18 pendentes de vidro transparente da Studio Luz saem do teto e garantem uma composição estética com vários formatos, mas ao mesmo tempo leve. Além dos pendentes, luminárias focais dão conforto visual ao Studio.