CASA - 30/08/2018

Você sabe o que é Design Universal?



Alessandra Gomes

O design universal de preocupa em conceber ambientes e produtos que possam ser usados pela maioria das pessoas (Foto: Divulgação)

O Design Universal é uma concepção de produtos, ambientes e programas que atendam, na maior medida possível, o maior número de pessoas possível, obedecendo a sete princípios fundamentais:

  1. Uso equitativo (igualitário): o ambiente ou elemento espacial deve, sem deixar de ser atraente, propiciar o mesmo significado de uso para todos, independentemente de idade ou habilidade, eliminando a possibilidade de segregação de algum usuário. Assim, o design deve ser útil para pessoas diversas;
  2. Uso flexível (adaptável): Significa possibilitar diferentes maneiras de uso, contemplando pessoas com diferentes características (destros e canhotos, por exemplo);
  3. Uso simples e intuitivo (óbvio);
  4. Informação conhecível, de fácil percepção: A apresentação de informações vitais, em um ambiente, deverá ser feita de variados modos (visuais, verbais, táteis), a fim de que tais informações sejam facilmente percebidas por pessoas com diferentes habilidades (por exemplo, cegos, surdos, analfabetos etc.);
  5. Tolerância ao erro: A utilização do ambiente ou elemento espacial deverá ser segura, de tal sorte que os riscos de acidentes ou as consequências adversas de ações não intencionais sejam minimizados;
  6. Baixo esforço físico: Deve ser promovido o uso eficiente e confortável do ambiente ou elemento espacial, evitando que o usuário se esforce além do razoável;
  7. Dimensão e espaço para aproximação e uso abrangente: A aproximação, o alcance a manipulação e o uso do ambiente ou do elemento espacial deverão ser possíveis a diferentes usuários, independentemente do tamanho de seus corpos, de sua postura ou de sua mobilidade.

Portanto, o Design Universal contempla os quesitos de acessibilidade, ergonomia, tecnologia assistiva, mas não se resume a esses itens isoladamente. Ao contrário, concilia-os, numa concepção global, projetando ambientes mais inclusivos. Sem dúvida, uma maneira muito mais holística e democrática de pensar o espaço!

 

Alessandra é Pós-graduanda em Design de Interiores, Ambientação e Produção do Espaço
Instagram:@alessandragomesdesigner

Veja também