PODER - 23/03/2020

“Se não sobrecarregarmos nosso sistema de saúde, teremos excelentes resultados”

Ronaldo Caiado faz novamente apelo aos idosos, principal grupo de risco do coronavírus. “Fiquem em casa, do contrário todo o esforço que estamos fazendo não vai adiantar”


 
Onze dias após a confirmação dos três primeiros casos de coronavírus no Estado e conseguindo manter a curva de crescimento achatada da pandemia, o governador Ronaldo Caiado declarou, no início da tarde desta segunda-feira (23/01), que se todos fizerem a sua parte, mantendo-se afastados do convívio social, até 4 de abril, é grande a chance de Goiás barrar a proliferação da doença. Mas a afirmação veio junto com um puxão de orelha nos idosos, principal grupo de risco do novo vírus. “Se as pessoas acima de 60 anos não ficarem em casa, não vai adiantar todo o esforço que estamos fazendo”, comentou, ao presenciar a aglomeração da população desta faixa etária no posto de vacinação contra a gripe montado no Estádio da Serrinha.
 
O governador chegou a ir até o local para garantir aos idosos que há vacinas para todos e que não é preciso todo mundo ir no mesmo dia, logo no início da manhã. “Pedi que se dispersassem. A campanha da vacinação, que tradicionalmente é realizada em abril, foi antecipada em um mês, para que as pessoas possam estar imunizadas contra o H1N1 e os outros vírus da gripe. Esta vacinação não é contra o coronavírus”, frisou.
 
De forma didática, o governador ainda explicou porque é tão importante essa quarentena de 15 dias. “Se as pessoas cumprem o isolamento social, a contaminação ocorre de forma gradual, quer dizer, não vai todo mundo precisar do sistema de saúde ao mesmo tempo. Os jovens que pegarem o coronavírus se curam em casa mesmo e, como a circulação está restrita em Goiás, eles não se tornam vetores de transmissão para os idosos”.
 
Ainda de acordo com Caiado, que é médico por formação, quando 50%, 60% dos goianos estiveram infectados, a população estará imunizada, porque as pessoas já terão desenvolvidos anticorpos contra o coronavírus. Mas isso, lembrou, tem que acontecer de maneira gradual. “Foi isso o que aconteceu na China, que hoje está estabilizada”, exemplificou, ao citar ainda outros países que estão tendo sucesso nessa “guerra”, como Alemanha, Coreia do Sul e Japão, justamente porque investiram pesado nas medidas restritivas de circulação social.
 
Fim da quarentena
Sobre o fim do período de isolamento social, Ronaldo Caiado disse que, quando a quarentena chegar ao 15º dia, será possível mensurar e balizar os resultados obtidos. “A partir daí, já teremos dados para saber em que setores poderemos flexibilizar, ou não, algumas restrições”, pontuou.
 
O governador reiterou ainda que o transporte coletivo não vai parar, mas vai ser fiscalizado para que a capacidade de pessoas sentadas seja respeitada. Nos aeroportos, a Vigilância Sanitária é quem deve fazer a triagem dos passageiros que chegam ao Estado.
 
Caiado voltou a assegurar que as ligações de água não serão cortadas pela Saneago, em caso de atraso, e que o Detran já suspendeu o pagamento do IPVA, que será parcelado posteriormente. “Fiz pedidos similares a Enel e também para as empresas de telefonia”, assinalou.
 
Pagamento do servidor público
  1. Segundo o governador, todos os salários do funcionalismo público serão pagos até o dia 31 de março. Em relação aos próximos meses, Caiado adiantou que terão prioridade aposentados, pensionistas e servidores da Saúde. “Inclusive quero ver com a Assembleia Legislativa como poderemos compensar esses (pessoal da Saúde) que estão na linha de frente. Agora, o que acontecer a partir daí vai depender da nossa arrecadação”.

Veja também