TRENDS - 17/01/2019

Saúde bucal infantil: entenda a importância de ensinar bons hábitos logo cedo

Mesmo antes do surgimento dos primeiros dentes, higiene bucal da criança deve ser uma preocupação


Foto: Reprodução/Shutterstock

Com a chegada do primeiro filho, muitos pais procuram saber como cuidar da saúde da criança. Uma das preocupações mais importantes, e que por vezes é negligenciada, é a saúde bucal dos pequenos. O ideal, de acordo com a odontopediatra Mariana Amorim, é que a mãe faça o “pré-natal odontológico”, momento em que a saúde bucal da mesma é avaliada. Além disso, a mãe deve receber orientações sobre amamentação natural e artificial, higiene bucal do bebê e hábitos saudáveis.

Caso esse primeiro procedimento não tenha sido realizado, e o pequeno já tenha nascido, é importante levá-lo ao consultório, assim que possível. Se já houver a presença de dentes, esses serão avaliados, assim como a oclusão e a presença ou risco de cárie e doença periodontal. Se necessário, é indicada uma limpeza e aplicação de flúor como forma de tratamento ou prevenção. Mariana explica que o bebê que ainda é alimentado com leite materno antes do nascimento dos dentes tem a cavidade bucal protegida, pois o leite materno possui imunoglobulinas que protegem as mucosas, então não há a necessidade de higienizar, mas essa pode ser realizada sem problemas.

Após o nascimento do primeiro dente, ainda que seja só a pontinha, os pais já devem higienizá-lo com escova macia, de cabeça arredondada e pasta dental fluoretada. “A quantidade recomendada e a frequência do uso do flúor deve ser indicada pelo odontopediatra de acordo com cada caso, hábitos e dieta da criança”, enfatiza a profissional.

Foto: Reprodução/Pixabay

De acordo com a Academia Americana de odontopediatria, deve-se usar pasta fluoretada - mais de 1000 ppm de flúor -, a partir do primeiro dente e em uma quantidade equivalente ao tamanho de um grão de arroz. Mariana reforça que a escovação da criança deve ser supervisionada por um adulto e o cuidado com a quantidade de pasta fluoretada deve ser rigoroso pelo menos até os 3 anos de idade, pois a criança pode ingeri-la, o que deve ser evitado na medida do possível. Durante a consulta, a profissional habitualmente treina os pais para a técnica correta nessa fase tão importante, assim os podem dar início ao processo de escovação corretamente.

Mariana alerta ainda que a dedeira bucal, também conhecida como escova de dedo, normalmente feita de silicone e com cerdas na ponta, não são indicadas para higienizar os dentes, mas sim para massagear as gengivas, antes da erupção dos mesmos, e podem ajudar a estimular o nascimento dos dentinhos. 

Até os 8 anos, idade em que a criança já possui boa coordenação motora, pelo menos uma vez ao dia, a escovação deve ser supervisionada e feita pelos pais – preferencialmente a última do dia. Outro alerta para os pais fica por conta da mamadeira, chupeta e dedo em grande frequência. “Eles podem prejudicar a posição dos dentes e a formação do palato (céu da boca), causando problemas de oclusão e deformações na arcada dentária”.

Veja também