BELEZA - 11/09/2019

Pesquisa revela que homens estão comprando mais produtos de beleza

Perfumes lideram o ranking, seguido dos shampoos e condicionadores. Produtos antipoluição também têm tendência de prosperidade


Homens gastam em média 24 minutos se arrumando (Foto: Divulgação)

Você sabia que o setor de beleza está entre os dez principais segmentos do varejo? Ao contrário do que o nosso preconceito pode apontar, isso não se deve apenas às mulheres. Nos últimos anos, o público masculino que busca por produtos de beleza e serviços estéticos tem aumentado cada vez mais, o que ajudou a colocar o Brasil como o 2º país que mais se preocupa com ramo. Um consumidor mais exigente, como informa a pesquisa do Grupo Croma.

Uma das principais diferenças do consumidor masculino, em relação às mulheres, é a busca por produtos que ofereçam praticidade e descompliquem sua rotina de cuidados. Enquanto as mulheres passam, em média, 42 minutos por dia cuidando do corpo, esse tempo se limita a 28 minutos no caso dos homens. A propagação rápida das informações e as compras pela internet tem auxiliado o crescimento do segmento masculino na indústria cosmética.

Através de uma pesquisa quantitativa, levando em consideração idade, classe e orientação sexual e com total de 1005 entrevistados, o Grupo Croma desenvolveu um estudo que aponta o crescimento de compra e uso de cosméticos no Brasil. Um dos tópicos abordados é a ressignificação das antigas barbearias, que atrai cada vez mais homens que buscam exclusividade para se sentir confortáveis e valorizados.

Mulheres gastam o dobro de tempo para cuidar da estética (Foto: Divulgação)

Os perfumes ainda lideram o ranking de produtos de uso e intenção de uso. Uma parcela de 65% dos entrevistados afirmaram que usaram perfumes no último ano e que vão usar novamente nos próximos 12 meses. As empresas de perfumes em geral investem em novas tecnologias, fragrâncias e buscam se aproximar cada vez mais dos seus clientes.

Em segundo lugar, shampoos e condicionadores continuam com altos índices de uso e intenção de uso. Dos entrevistados, 63% usaram e vão usar novamente nos próximos 12 meses e 18% pretende usar. As vendas da indústria de produtos para cabelos não crescem em volume há alguns anos, pois os produtos estão presentes na maioria dos lares, o que limita sua expansão. Linhas alternativas conquistam espaços menores mas representativos, como empresas com mais de dez tipos de shampoos e condicionadores.

Quanto a convicção masculina em se cuidar com tratamentos de beleza e usos estéticos, 66% dos entrevistados afirmam que podem chamar do que for, mas cuidar da aparência não afeta sua masculinidade. Outros 63% afirmam que cuidar da beleza não é só coisa de mulher. Mas na contrapartida, o homem gasta muito menos que a mulher, porque 73% afirmam que não gastam tudo o que precisar para ficar bonito e 76% dos homens não se preocupam com o fator "envelhecer" para se cuidar.

Por isso, os produtos multifuncionais que apresentam diversos e evidentes benefícios, como, por exemplo, cremes faciais que hidratam a pele, previnem rugas, oferecem proteção solar, controlam o brilho e fornecem vitaminas à pele, costumam despertar o interesse dos consumidores. Os produtos antipoluição também têm tendência de prosperidade, assim como os para proteção solar, anti-stress e contra a luz azul dos dispositivos eletrônicos.

Veja também