CULTURA - 15/12/2017

Felamacumbia comemora 3 anos de afrolatinidades

Cabaret Voltaire recebe o baile de três anos do projeto Felamacumbia neste sábado (16). Bruno Caveira, Igor Zargov, Superlage (PE) e DJ Incidental (PE) são os encarregados de ferver a caldeira



Por André Luiz Pacheco da Silva*

*André Luiz Pacheco da Silva é estudante 
de psicologia e psicanálise, escritor e melômano

Igor Zargov e Bruno Caveira (Foto: Reprodução/ Facebook)

Luz vermelha acesa na entrada do Cabaret. É noite de pandemônio. Alomo bitters e café com pupunha na mesa, Fela Kuti trocando ideias com Pinduca. No balcão ao lado, a velha guarda cubana do Buena Vista Social Club degusta charutos ouvindo Gilberto Gil discorrer sobre o abacateiro. Em um canto escuro, Manuel Cordeiro afinando a guitarra enquanto Calixto Ochoa experimenta um gole de cachaça de jambu. Logo ali, embaixo da bananeira, Tito Puente cumprimenta Loalwa Braz, do grupo Kaoma: oye como va?

Há três anos esses encontros acontecem na cidade. E quem faz as honras da casa é a dupla Bruno Caveira e Igor Zargov. No princípio, era o tambor. Com o afrobeat, a pista começava a esquentar. Depois a dupla desbravou as latinidades. Zargov, percussionista e contrabaixista, é feito de ritmo e sua formação musical orientou suas pesquisas. Caveira, por sua vez, pediu a bênção e foi guiado espiritualmente por Mário Cavalcante. A partir da provocação de uma amiga e possuídos pelo batuque de djembés, curimbós e congas, encontraram o gás dessa efervescência sonora no suingue dos ritmos do Norte: salsa, carimbó, siriá logo viraram objetos de estudo e gozo. Também encontraram vazão na sensual pegada caribenha, no frenético afrobeat e em tudo o mais que faça suar a camisa.

A influência da sonoridade de artistas como DJ Dolores e Lúcio K. também contribuíram para realçar o sabor dessa mistura de marcações africanas e latinas. Então surgiu o Felamacumbia. Fela. Macumba. Cumbia. Esses elementos representam sucinta e simbolicamente o propósito do projeto amadurecido em barris de castanheira.

Abraçado por Rogério Pafa, do antigo Loop Estúdio, o Felamacumbia entrava em ebulição com jam sessions intercaladas a discotecagem. Com o fechar das portas do Loop, o projeto ainda passaria por outras casas como o Cafofo, o Terreiro do Tamanduá e a Yes, antes de chegar no Cabaret Voltaire. Entre as atrações que engrossaram o caldo em edições anteriores figuram DJ Dolores, DJ Sabará, Matheus Dutra, Monike Goyana, Francisco El Hombre, Lucas Santtana, DJ TataOgan e Lúcio K.

Na setlist, além dos habitués já citados, participam do frevo Gabriel Romero, Adolfo Echeverria, Rincón Sapiência, Karol Conká, Larissa Luz, Dona Onete, Mestre Vieira e outros. Na sequência de pratos desse banquete musical, o duo Dengue Dengue Dengue traz o tempero peruano, já a Banda Reflexu’s traz a pimenta baiana. Também não pode faltar o projeto australiano Cumbia Cosmonauts, o siriá do cametaense Mestre Cupijó e o grupo chileno Chico Trujillo. Figuras carimbadas, os álbuns “Refavela” de Gilberto Gil e “Zombie” de Fela Kuti são o arroz e o pequi da festa.

Festa conhecida e requisitada na cena mais interessante da cidade, Felamacumbia tem crescido a cada ano. Desde que o evento se firmou, a bilheteria já atingiu a marca de seiscentas pessoas e nunca menos que trezentas - números expressivos se for levada em consideração a capacidade máxima dos locais. Para o seu terceiro aniversário, além de contar com os anfitriões, o projeto traz os pernambucanos do grupo Superlage misturando ritmos amazônicos com batidas eletrônicas do DJ Incidental que prometem insuflar afrodisíacas vibrações de saliências sonoras.

A experiência de ir em uma edição do Felamacumbia não encontra representação em palavras, mas em suor. Não existe termômetro que aguente quando centenas de pessoas se juntam para bailar lambadas. O alvoroço é tanto que há quem queira tirar a roupa, quem se entrega a feitiços caboclos; quem termine e quem comece rolos, namoros e outras formas de laço social.

Longe do centro da mesmice goianiense, Felamacumbia tem o poder de misturar o cerrado com o tropical e o equatorial. O seco e o úmido. O tremor do jambu com o azedoce da carambola. O acarajé com o tucupi e o pequi. O quente com o mais quente. Treme!

(Foto: Reprodução/ Facebook)

Anote!
Felamacumbia 3 anos
Local: Cabaret Voltaire (Rua 8, Qd 5, Lt 07, Conjunto Itatiaia)
Quando: Sábado, 16 de dezembro de 2017, a partir das 22h
Quanto: Promocional - R$ 10,00
Segundo lote - R$ 15,00
Portaria - R$ 20,00 (sujeito a alteração)
Onde comprar: Vendas antecipadas apenas pelo Sympla
Mais informações através do evento no Facebook

Veja também