VIAGEM - 11/07/2019

Explore o parque que inspirou os cenários de “O Rei Leão”

Localizado na Tanzânia, destino serviu de base para dar vida à animação de 1994


Pôster da animação de 1994 (Foto: Divulgação/Walt Disney Studios)

Andar entre a natureza cantando Hakuna Matata pode se tornar uma caminhada mais especial do que você pensa. Quem é fã de O Rei Leão provavelmente já se pegou pensando em esquecer todos os problemas, se aventurar entre as árvores sob a luz do luar, comer frutas direto do pé ou levantou seu pet como fez Rafiki com Simba e proclamou as palavras de Mufasa: “tudo isso que o Sol toca é o nosso reino”. Já pensou em fazer tudo isso no cenário ideal?

O Rei do Parque Serengueti, na Tanzânia/Quênia (Foto: Divulgação/Interpoint)

Vencedor de duas estatuetas no Oscar e maior bilheteria de 1994, O Rei Leão marca gerações até hoje pela delicadeza no modo de contar as aventuras de Simba, Timão e Pumba. A história retorna aos cinemas em 2019, 25 anos após o original, em uma releitura que promete fazer qualquer criança e adulto chorar, sorrir e se emocionar. Quem estiver empolgado com a versão live-action, que chega aos cinemas no dia 18 de julho, precisa conhecer o Parque Serengueti, destino que inspirou os cenários do longa-metragem.

Filhote de leão (Foto: Divulgação/Interpoint)

Reconhecido como Patrimônio Mundial pela Unesco, o Serengueti está localizado no norte da Tanzânia e a sudoeste do Quênia. O local tem cerca de 13 mil quilômetros quadrados e é considerado um dos lugares mais selvagens do mundo. No total, são mais de 35 espécies de grandes mamíferos e cerca de 500 tipos de pássaros. Apesar da grande variedade de animais, o destino é marcado como a “terra dos leões”, tal qual é retratado no filme.

Gnus cruzando o Rio no Parque Serengueti. "A grande migração!" (Foto: Divulgação/Interpoint)

-

Rebanho de antílopes (Foto: Divulgação/Interpoint)

O parque também é famoso pelas grandes migrações anuais de gnus e outros herbívoros, que acontecem de maio a junho e, diferentemente do filme, que marca o fenômeno cíclico de forma melancólica, com a morte de Mufasa, o acontecimento é um dos mais belos espetáculos de toda a natureza. Estima-se que a movimentação mobilize mais de 1 milhão de animais, que seguem em busca de alimento, água e um lugar tranquilo para se reproduzirem longe dos predadores.

Elefantes e girafas nas grandes planícies do Serengueti (Foto: Divulgação/Interpoint)

Outras espécies de animais, como elefantes, rinocerontes, hipopótamos, búfalos, zebras, antílopes, leopardos, guepardos, hienas, macacos e aves de rapina também podem ser avistadas na região. Todas circulando livremente pelas imensas planícies do parque. O nome Serengueti, a propósito, significa justamente isto, “imensas planícies”.

Leoa e seus filhotes em uma pedra no Parque (Foto: Divulgação/Interpoint)

Quem estiver interessado em conhecer o destino, pode consultar a Interpoint & Viagens e Turismo, que oferece roteiros para a Tanzânia de até sete noites com hospedagem no próprio Serengueti e em outros parques e cidades do país, como Arusha, Tarangire e Ngorongoro.

Veja também