CASA - 17/05/2019

Cinex Arch realiza evento com o tema “Fazer o Bem Faz Bem”

Em parceria com o arquiteto Leo Romano, a companhia promove discussão sobre um olhar mais humano


Arquiteto Leo Romano (Foto: Tobias Ragonesi)

 

Destaque em oito ambientes na Casa Cor Goiás 2019, a Cinex Arch convida o público para uma conversa sobre os novos caminhos do morar brasileiro. A empresa une forças com o arquiteto Leo Romano e, a partir do tema proposto pelo profissional “Fazer o Bem Faz Bem”, realiza no dia 20 de maio uma troca de ideias, conceitos e experiências sobre o assunto. O evento irá acontecer no loft “Casa da Girafa”, ambiente do arquiteto em parceria com a Cinex na Casa Cor Goiás 2019.

Abrangente, o tema visa incentivar as pessoas a fazerem o bem com pequenos gestos cotidianos. Parceiro da ação e há mais de 20 anos na Casa Cor, Leo Romano afirma que a intenção é falar um pouco do assunto partindo da arquitetura e também relacionar com a simplicidade para, de certo modo, contaminar as pessoas a fazerem a diferença. “Como ter atitudes boas dentro de casa? Como se sentir bem nela? Pode ser pelo contato mais próximo com a natureza, ao deixar a casa limpa, posicionar uma flor na mesa”, explica.

O empresário e franqueado da Cinex Arch em Goiânia, Pedro Paulo Estrada, afirma que o mundo precisa de “um olhar mais humano. Tudo isso tem a ver com fazer o bem para as pessoas. E o tema está ligado com a nossa proposta de produto, com materiais atóxicos, recicláveis, ecologicamente corretos”. Pedro entende que o design está a serviço da humanidade, para que seja possível viver melhor e se relacionar com todos os ambientes.

Satisfeito com o resultado desta edição da Casa Cor, na ocasião Leo apresentará alguns projetos e como encara a questão da poesia, identidade e autoria nos mesmos. “A própria ‘Casa da Girafa’ é um ambiente leve e que desperta sensações. Desde a água no banheiro até a distribuição do layout, que integra os espaços e convida ao convívio”, conta. São pequenas nuances e sugestões, que, de acordo com o profissional, são capazes de transmitir bem-estar. “As pessoas acham que fazer o bem, por vezes, significa doar dinheiro. Talvez seja da nossa cultura, mas costumamos doar o que não queremos mais. Isso deveria ser diferente. Por que não doarmos, passarmos para frente, algo que tanto gostamos?”, questiona.

 

Leo Romano e Pedro Paulo Estrada (Fotos: Tobias Ragonesi)

 

Veja também