CASA - 24/09/2018

A volta do azul na decoração


Na decoração, o azul pode estar presente em detalhes, como no tapete e em itens de decoração (Foto: Divulgação)

De uma cor masculina e demodê, o azul volta a ser queridinho no mundo da decoração. Os números não mentem – segundo a rede social Pinterest, uma das mais utilizadas pelos amantes e interessados em design de interiores, as buscas por azul e seus derivados aumentam 139% a cada ano no mundo. No Brasil, foi registrado um aumento de 100% no número de ideias salvas na mesma rede social, que levam a cor em consideração, no últimos 12 meses.

Com várias nuances, a cor tem conquistado um espaço cada vez maior nos ambientes decorados. De acordo com a arquiteta Doriselma Mariotto, o azul é um tom associado ao elemento água e que, quando bem utilizado, resulta em um efeito tranquilizante e refrescante.

Nos decorados do Horizonte Flamboyant, o azul foi escolha preferencial na paleta de cores (Foto: Divulgação)

“O azul é calmante. As pesquisas apontam que ele atua diretamente no sistema nervoso central, desacelerando o metabolismo, diminuindo a circulação sanguínea e reduzindo o ritmo da respiração”, conta a arquiteta. Pela sensação de paz, bem estar e relaxamento que provoca, o azul torna o espaço mais aconchegante, ajudando a aliviar o stress e a tensão dentro do ambiente, 

Doriselma enfatiza ainda que a forma como se usa o azul é fundamental para que o efeito tranquilizante não se transforme em uma sensação de frieza e de distanciamento. Para evitar esse efeito, a dica é sempre combinar com outras, para deixar o ambiente menos monótono.

O azul pode ser trabalhado em diferentes tons, desde o pastel até o royal, como na imagem (Foto: Divulgação)

Responsável pelos decorados do residencial Horizonte Flamboyant, que tem o azul como escolha preferencial na paleta de cores em homenagem ao cantor Roberto Carlos - sócio do empreendimento, que assume publicamente ser esta sua cor predileta - a arquiteta destaca que para decorar com a cor é importante levantar quais são as necessidades do ambiente. “A cor pode entrar em qualquer espaço, desde uma pintura de parede até mobília ou objetos decorativos”, diz, ao acrescentar que a principal regra é o bom senso.

Doriselma destaca que nos decorados do Horizonte Flamboyant, toda a paleta de azul foi utilizada na construção da decoração. “Não temos apenas um tom de azul. Misturamos vários, com outros elementos e cores, a fim de conquistar um efeito de paz e serenidade”, revela.

A arquiteta destaca ainda que nestes decorados, o azul foi bastante usado com a cor branca e com aplicações de madeira, proporcionando combinações suaves. “O azul é um cor democrática e os diversos tons da paleta contrastam com o ambiente”, arremata.

Veja também